Uso de máscaras no escritório compartilhado

Uso de máscaras no escritório compartilhado: ainda é uma responsabilidade de todos

coworkingTrabalho remoto

O uso de máscaras no escritório compartilhado ainda é necessário. Mesmo com a continuidade da vacinação, tomar esse cuidado é sinônimo de satisfação dos clientes, responsabilidade e segurança. Entenda melhor.

Os números de casos ativos da COVID-19 começam a diminuir e os governos estaduais planejam a reabertura total das atividades. Aos poucos, a vida retorna ao normal. Entretanto, o uso de máscaras no escritório compartilhado ainda é necessário.

O motivo é simples: as pessoas ficam mais próximas e o vírus ainda pode circular. É verdade que a vacinação avança e já mostra toda a sua força. Isso é perceptível pela redução das mortes e do total de casos ativos.

Para ter uma ideia, o boletim da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) do dia 17 de setembro de 2021 mostra que o número de casos e óbitos registrou a maior queda do ano. Na época, já eram registradas 12 semanas consecutivas de redução no número de mortes. Além disso, esse era o melhor cenário desde o começo do monitoramento da taxa de ocupação de leitos de UTI.

Apesar dessa boa notícia, ainda é preciso se cuidar. Dados do dia 13 de outubro de 2021 mostram que a média móvel de mortes dos 7 dias anteriores ficou em 318. No entanto, a expectativa é saber se essa situação é resultado do feriado ocorrido no dia anterior. Enquanto isso, a média móvel de casos ficou pouco abaixo de 12 mil.

Como fica a vacinação nesse cenário? Por que ainda é preciso usar máscaras nos escritórios compartilhados? Vamos explicar melhor o motivo dessa recomendação para o uso do coworking no pós-pandemia, pelo menos, nesse momento.

Uso de máscaras no escritório compartilhado

Comparação do cenário da pandemia

Já mostramos que o cenário da pandemia vem melhorando. Para efeito de comparação, pegamos os dados do dia 13 de outubro de 2020. Naquele dia, a notícia do G1 era de queda no número de mortes e casos. Porém, o cenário era diferente.

A média móvel de mortes ficava em 499. Enquanto isso, a média móvel de casos foi de 20.553 por dia. O Brasil também registrava pouco mais de 150 mil mortes nesse período de 2020. Um ano depois, chegou a 600 mil mortes.

Além disso, é preciso considerar que esses dados estão parcialmente maquiados. Não por erro das autoridades de saúde. Mas sim devido ao feriado, já que a contabilização dos municípios tende a ser mais lenta.

Esses dados demonstram a importância de ainda cuidar dos nossos hábitos rotineiros. Tanto é que aproximadamente 98% das cidades brasileiras pretendem manter o uso de máscaras. Além disso, 64% querem continuar com essa regra mesmo após a vacinação completa da população. Pelo menos, isso é o que afirma uma pesquisa realizada pelo Conselho Nacional dos Municípios (CMN).

Em entrevista à CNN Brasil, o epidemiologista Marcio Watanabe afirmou que o ideal seria retirar a obrigação da máscara somente depois de 80% da população estar vacinada. Mais do que isso, ele alega ser necessário que todos os idosos contem com a terceira dose. Então, como está a vacinação nesse processo? É o que mostraremos agora.

Contexto da vacinação e por que fazer uso de máscaras no escritório compartilhado

Ainda que os dados estejam melhorando, a vacinação ainda anda em passos um pouco lentos. De uma população total de 220 milhões, apenas 99,6 milhões estão com as duas doses ou a dose única. Os dados são do dia 11 de outubro de 2021.

Em percentuais, o total de completamente imunizados chega a 46,72%. Quando observada a aplicação de apenas uma dose, o índice chega a 70,17%, ou quase 150 milhões. Outras 2,4 milhões de pessoas sofreram a aplicação da dose de reforço.

Em relação aos estados com o maior percentual de habitantes com o calendário vacinal completo, os cinco primeiros são:

  • São Paulo: 61,01%;
  • Mato Grosso do Sul: 60,22%;
  • Rio Grande do Sul: 53%;
  • Paraná: 50,04%;
  • Espírito Santo: 47,64%.

Por que é importante verificar todos esses dados de vacinação? Primeiro, porque demonstra que já caminhamos um trajeto longo, mas ainda não cruzamos a linha de chegada. Combater o coronavírus é como uma maratona, não uma corrida de 100 m.

Além disso, ter esse cuidado com o uso de máscaras é importante para fortalecer o home office e o trabalho remoto. As pessoas se sentem mais seguras. Por consequência, a chance de seu coworking receber uma avaliação cinco estrelas e ter um cliente fiel aumentam.

Tudo isso já ajuda o seu coworking, certo? O melhor de tudo é que os benefícios são relativos aos clientes, mas também à atração e retenção de talentos no trabalho híbrido.

Uso de máscaras no escritório compartilhado

Selo Escritório Mais Seguro

Para incentivar os coworkings da rede e garantir que os clientes se sintam confortáveis, o BeerOrCoffee criou o selo Escritório Mais Seguro. A ideia é mostrar que nem sempre é preciso fazer home office para estar em segurança, já que muitos escritórios compartilhados da plataforma exigem o uso de máscara.

Para criar a iniciativa, o BeerOrCoffee se uniu à experiência da Sercon. Ou seja, a maior plataforma de escritórios flexíveis do Brasil contou com a empresa referência em saúde e segurança no trabalho para criar a certificação.

Em que consiste o selo Escritório Mais Seguro? A certificação é uma validação do BeerOrCoffee e da Sercon para o retorno consciente ao trabalho. Por isso, os profissionais são acompanhados para que sejam identificados possíveis riscos de contaminação. Nesse processo, algumas variáveis foram consideradas:

  • Tempo de contato com objeto ou local;
  • Uso individual ou compartilhado de objeto ou local;
  • Tempo de vida do coronavírus em cada superfície;
  • Probabilidade de contaminação do local ou objeto.

A avaliação ainda agrupa os riscos conforme os ambientes dos coworkings para garantir a limpeza e a gestão dos espaços, além da visualização dos usuários. Para saber como ter o selo Escritório Mais Seguro, basta baixar o guia de mapeamento de riscos da COVID-19 no seu escritório. Assim, você saberá o que fazer para conseguir a certificação e garantir que o seu coworking está preparado para receber os clientes.

Lembre-se também de que um dos critérios para a obtenção do selo é justamente o uso de máscaras no escritório compartilhado. Afinal, é o que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda e é responsabilidade de todos cumprir as regras. Assim, você evita críticas e revisões negativas ao seu negócio.

Seu coworking já está preparado para receber o selo ou ainda recebe reclamações? Veja como lidar com comentários negativos e saiba tirar proveito dessa situação.


Texto escrito por Fabíola Thibes, jornalista e redatora web.

Facebook Comments
Previous
Como preparar seu espaço para a reserva de Sala de Reunião?
Next
Ferramentas de gestão para coworking para garantir melhores resultados