Entenda as diferenças entre trabalhadores remotos e nômades digitais

CarreiraCoworking Profissões

Você sabe quais são as diferenças entre trabalhadores remotos e nômades digitais? Como empreendedor, já deve ter ouvido alguma coisa sobre esses dois termos, muitas vezes utilizados como sinônimos. Contudo, existem detalhes importantes que os diferem e que podem ser determinantes para a contratação ou não de um profissional.

Neste artigo, vamos explicar cada um deles e, em seguida, apresentar as características que ajudam a entender as suas diferenças. Por fim, vamos falar sobre os impactos que podem gerar em uma empresa. E dizer como aproveitar dessas tendências do futuro do trabalho em seu negócio. Confira!

Trabalho remoto

O trabalho remoto é uma modalidade que permite que o profissional exerça suas atividades fora da empresa. Apesar de parecer algo muito novo, é uma prática que sempre existiu para alguns tipos de cargos. Como, por exemplo, os representantes de vendas e equipes de projetos que ficam alocadas nos clientes.

A grande questão é que, por causa das facilidades que a tecnologia proporciona atualmente, vários outros tipos de profissionais conseguem aderir ao trabalho à distância. Seja pelo uso de escritórios compartilhados ou fazendo home-office.

Nomadismo digital

O nomadismo digital é um tipo de atuação na qual o profissional aproveita as facilidades do trabalho remoto para viajar pelo mundo. É uma forma de conhecer novas culturas e viver experiências únicas sem precisar deixar de trabalhar. 

De tempos em tempos, é possível mudar para um novo local. Lá o profissional pode encontrar um coworking, e até mesmo se estabelecer por alguns meses. Quem determina o lugar de onde vai atuar é a própria pessoa, de acordo com seus gostos e preferências.

Diferenças entre trabalhadores remotos e nômades digitais

Todo nômade digital é um trabalhador remoto, mas nem todo trabalhador remoto é um nômade digital. Para entender melhor a diferença entre eles, vamos abordar alguns pontos que são determinantes. Acompanhe.

Fatores limitantes

A premissa de ambos os conceitos é a flexibilidade. Contudo, as diferenças entre trabalhadores remotos e nômades digitais começam quando pensamos em alguns fatores limitantes que acabam ocorrendo quando pensamos em trabalho remoto na empresa.

O primeiro deles é a localização. Os nômades precisam de liberdade para se deslocarem quando e para onde quiserem. Se o cargo dele demandar reuniões presenciais por algumas vezes ao mês, por exemplo, ele perde a flexibilidade necessária para migrar de país.

Além disso, existe a questão do horário de trabalho. A empresa pode exigir o cumprimento das atividades em um determinado período do dia, o que influencia os nômades em relação ao fuso horário. Tarefas que envolvam o atendimento ao cliente, reuniões mais frequentes, mesmo que à distância, acabam determinando uma limitação. 

Perfil comportamental

As diferenças entre trabalhadores remotos e nômades digitais, no que diz respeito ao comportamento, interferem bastante na produtividade percebida pela empresa. O nomadismo requer um espírito mais aventureiro e aceitação de riscos. Ao mesmo tempo, ele exige que a pessoa seja organizada e saiba lidar com imprevistos.

Equipes remotas não demandam todo esse controle por parte do profissional. Isso porque ele acaba contando com uma liderança mais próxima. Precisam ser responsáveis e ter um certo nível de autogestão, mas estão mais disponíveis para questões corriqueiras do cotidiano da empresa.

Áreas mais indicadas

Os trabalhadores remotos, de uma forma geral, podem atuar em quase todas as áreas da empresa. Todo cargo que não exija a presença física do profissional na empresa pode ser ocupado por alguém à distância. Isso inclui as atividades dos setores administrativos, de tecnologia, marketing e vendas, por exemplo.

Já em relação aos nômades, existe a particularidade da flexibilização maior que eles exigem. Dessa forma, eles são mais indicados para entregas mais pontuais, que não estejam atreladas às ações presenciais ou em horários determinados.

 trabalhadores remotos e nômades digitais

É bastante comum que os nômades digitais atuem com desenvolvimento de sistemas ou sites. Além de produção de conteúdo escrito ou imagético ou alguns tipos de consultorias.

Impactos desses dois modelos de trabalho nas empresas

Tanto os trabalhadores remotos quanto os nômades digitais geram impactos positivos para as empresas para as quais atuam. Veja os mais relevantes a seguir.

Ganho na maturidade do negócio

Os profissionais remotos têm um perfil mais independente e tendem a ser mais comprometidos com o propósito da empresa. O fato de terem que cuidar da própria rotina e controlar o andamento das tarefas, eles se tornam colaboradores mais maduros e responsáveis em suas entregas.

No caso dos nômades digitais, ainda há o ganho na qualidade e variedade das informações que chegam à empresa. Eles estão em contato direto com outras culturas e realidades, o que faz com que tenham também acesso a novidades que ainda não chegaram ao Brasil. E tudo isso é transmitido nos momentos de conversa e reuniões.

Fomento à criatividade

A criatividade é um recurso necessário para qualquer tipo de negócio. É ela que ajuda a manter a empresa competitiva no mercado, trazendo inovações e diferenciais que atraiam e encantem os clientes. Uma rotina monótona e o contato com as mesmas pessoas nos mesmos lugares, constantemente, reduz a capacidade da mente de criar coisas novas.

O trabalho remoto permite uma variação maior no cenário cotidiano dos colaboradores. Mesmo aqueles que não são nômades, podem ter contato com muitas pessoas diferentes quando estão alocados em um escritório compartilhado. Nas conversas de corredor, muitas ideias, parcerias e, até mesmo, clientes podem surgir.

Multiculturalidade

A cultura é algo muito particular de uma comunidade, mas também é algo muito rico para empresas e profissionais. O contato com valores distintos e práticas que não fazem parte do cotidiano ajuda a ampliar a compreensão sobre os outros, o que influencia na forma como analisamos cada situação.

trabalhadores remotos e nômades digitais

Uma mente mais ampla é capaz de entender melhor as reações, desejos e dores de clientes, por exemplo, o que proporciona o desenvolvimento de soluções mais adequadas, com maior aceitação no mercado. 

Enfim, as diferenças entre trabalhadores remotos e nômades digitais são poucas, mas são muito importantes para quem deseja contar com esses tipos de profissionais em seu quadro. O ponto-chave é compreender todas as vantagens que ambos têm a oferecer e como fazer para aproveitar o melhor de cada perfil em seu negócio.

Agora que você já consegue diferenciar essas novas modalidades de profissionais, que tal aprofundar um pouco mais nas novidades do mercado? Confira as 5 principais tendências do futuro do trabalho.

Natália Fernandes é analista de conteúdo e co-fundadora da Começando na Web.

fazer home office

Pesquisa de Harvard: trabalhar de outros lugares é melhor do que fazer home office

CarreiraCoworking Profissões

Que fazer home office deixou de ser uma tendência e se tornou uma realidade já não existem mais dúvidas. E quem trabalha ou já experimentou o trabalho em casa sabe o quanto ele se torna mais produtivo. Isso acontece, em especial, por causa da maior flexibilidade e qualidade de vida. Mas o que acontece quando você pode trabalhar em qualquer lugar?

Um artigo, publicado em agosto deste ano pelo Harvard Business Review (que teve como base um estudo dos pesquisadores Prithwiraj (Raj) Choudhury, Cirrus Foroughi e Barbara Larson), demonstrou que trabalhar de qualquer lugar do mundo, desde que tenha uma conexão com a internet, é ainda mais produtivo do que fazer home office.

A pesquisa dos especialistas da Harvard Business School foi realizada com colaboradores do Escritório de Patentes e Comércio dos Estados Unidos. É sobre as descobertas feitas por eles que vamos falar nesse post. Então, continue lendo!

Trabalhar de qualquer lugar é mais produtivo do que fazer home office

fazer home office

A pesquisa de Harvard trouxe à tona descobertas interessantes sobre os efeitos de se trabalhar em qualquer lugar. Ela demonstrou que os resultados são ainda melhores do que fazer home office. Por exemplo, os trabalhadores que participaram do estudo tiveram um aumento de 4,4% na sua produtividade depois que mudaram a rotina.

Uma das questões mais relevantes sobre fazer home office está no fato de que o profissional pode se isolar. Assim, acaba perdendo a oportunidade de conviver e trocar experiências com colegas. Trabalhar de qualquer lugar promove exatamente o efeito contrário. Estando próximo de pessoas com funções semelhantes a troca de aprendizados passa a acontecer.

Isso é muito comum em locais de coworking. São espaços que misturam profissionais de diversas empresas, além de pessoas vindas de vários locais do mundo e que desempenham funções variadas.

Empresas e freelancers só têm a ganhar com a descoberta

Os pesquisadores sugeriram que profissionais menos experientes precisam conviver, mesmo que só por algum tempo, com outros colaboradores que já estão na função a mais tempo. Em algumas organizações é possível fazer isso internamente. Porém, há casos em que é mais eficiente colocar esse profissional para ganhar experiência em outros locais.

Além disso, existem outros benefícios em trabalhar de qualquer lugar em vez de fazer home office. Veja alguns deles nos tópicos a seguir:

1. Maior produtividade

Já mencionamos essa vantagem, mas vale a pena reforçar. O aumento dos resultados no trabalho vem do fato de que profissional não se envolve com as questões domésticas. Além disso, pode escolher locais próximos à sua casa, onde não precise, por exemplo, perder tempo no trânsito para chegar.

E por falar em trânsito, se você não está dirigindo, o seu tempo de deslocamento dentro do avião, Uber ou transporte público, por exemplo, também pode ser aproveitado para o trabalho.

fazer home office

2. Mais foco e criatividade

Sair da rotina torna o cérebro mais atento e ativo, pois ele está buscando soluções para situações ainda não vividas. Além disso, se você optar por trabalhar em locais com uma decoração aconchegante e inspiradora, certamente o seu nível foco e criatividade aumentará muito.

Normalmente, os espaços de coworking são planejados exatamente para oferecer toda a inspiração que você precisa. Neste e-book sobre coworking, tem tudo o que você precisa saber sobre como esses locais funcionam.

3. Expansão do repertório cultural

Imagine só viajar o mundo todo, trabalhando cada semana, ou até mesmo dia, em uma cidade diferente? E conhecendo várias coisas novas? Claro que o seu repertório se tornará muito mais amplo do que o das pessoas que só viajam nas férias, por exemplo.

Mas nem sempre é possível viajar o tempo todo. Porém, trabalhando em locais fora de casa você terá mais contato com outras pessoas, que têm ideias e experiências diferentes das suas. Assim, poderão agregar muito ao seu repertório cultural.

4. Flexibilidade de horários

Embora a disciplina seja um fator determinante para o foco e para a produtividade, a flexibilidade de horários e locais amplia a sua capacidade de entregas. 

Por exemplo, aquele trabalho cujo cliente tem urgência. Ele até vai pagar mais por isso, mas você precisa entregar na manhã do dia seguinte. Para o fazer você precisará virar a noite, em casa a sua cama é um convite. A solução: buscar um outro local para trabalhar capaz de espantar o sono.

5. Ampliação do networking

E, claro, o networking não poderia ficar de fora dessa lista de vantagens. Afinal, trabalhando em locais diversificados, você conhecerá pessoas novas, que trarão diversas oportunidades de negócio. Isso sem contar a troca de experiências e conhecimento que esses encontros possibilitam.

fazer home office

Opções para experimentar trabalhar em qualquer lugar

Agora que você viu que até Havard já conhece os benefícios de trabalhar em qualquer lugar, chegou a hora de pensar em alguns locais interessantes para isso. E como já recomendamos em outros pontos do post, os coworkings são excelentes opções.

Eles oferecem vantagens como ter uma sala privada, além de toda a infraestrutura necessária para você trabalhar focado. Além disso, existem diversos espaços de coworking em uma mesma cidade. Como São Paulo, que permite a você variar todos os dias, se quiser.

Claro que você pode experimentar outros locais, como parques, clubes, cafés, praias etc. Porém, não esqueça de prestar atenção em alguns detalhes como a disponibilidade de conexão com a internet, pois o 3G não funciona tão bem quanto uma fibra ótica. E, principalmente, na sua segurança. Afinal, nem sempre é uma boa ideia ficar dando sopa em locais públicos com o seu notebook, certo?

Spaces Coworking Berrini

A pesquisa de Havard demonstrou que fazer home office foi só o começo do futuro do trabalho. Afinal, tanto para empresas quanto para profissionais autônomos, mais liberdade na realização de suas funções é sinônimo de aumento na produtividade, além de melhores resultados qualitativos.

E agora que você já sabe que exitem outras opções para melhorar o seu desempenho e da sua equipe além de fazer home office, que tal marcar um teste gratuito para o seu time em dos mais de 800 espaços de coworking disponíveis em todo o Brasil?

Silvia Seco é publicitária, especializada em gestão de marketing digital e produção de conteúdo. Uma verdadeira apaixonada por criação, design, inovação, tecnologia e histórias bem contadas.