tendências para coworkings em 2022

Principais tendências para coworkings em 2022

coworkingFuturo do Trabalho

As tendências para coworkings em 2022 são voltadas para a adaptação no pós-pandemia. O retorno das pessoas às cidades menores, a sustentabilidade e o investimento em comunidade são algumas das dicas para se destacar. Entenda mais.

Você já considerou quais são as tendências para coworkings em 2022? Com características específicas, esses negócios estão cada vez mais em alta. Até mesmo porque o trabalho híbrido e remoto fortalece essa alternativa. Por isso, é fundamental se destacar. Afinal, conhecer as perspectivas para o próximo ano é uma forma de conquistar vantagem competitiva.

A ideia é simples: você cuida dos detalhes atenciosos que os clientes adoram e tem uma chance maior de atrair e reter clientes. Parece fácil, mas a verdade é que exige conhecimento. Isso porque o mercado está mais concorrido a cada dia.

Para você ter uma ideia, um estudo global mostrou que o segmento de coworking está em uma trajetória crescente. O faturamento total deverá ultrapassar 13,03 bilhões de dólares até 2025. Isso representa uma alta de 12%.

No Brasil, houve uma queda de faturamento significativa no primeiro semestre de 2020. No entanto, já no mês de julho do mesmo ano, começou a se perceber um movimento de recuperação equivalente a 70%. Além disso, é importante destacar que 90% das pessoas ficam mais confiantes quando trabalham em um escritório compartilhado.

Todos esses dados deixam claro que existe espaço no mercado, ainda que ele seja competitivo. Cabe ao gestor encontrar as principais tendências para coworkings em 2022, aplicá-las e se destacar.

Que tal colocar a mão na massa? Veja as dicas que preparamos para você aplicar no seu trabalho como community manager!

tendências para coworkings em 2022

Investimento na comunidade

O foco dos coworkings é oferecer um espaço confortável e com toda a infraestrutura para trabalhar. Mas, vamos combinar, essas características não são diferenciais. Para se destacar, uma das tendências para 2022 é fortalecer a comunidade.

Isso pode ser feito por meio de eventos voltados para a educação e o bem-estar. Essa é uma forma de levantar a moral de todos e alinhar interesses. Além disso, contribui para a interação entre todos.

Dessa forma, há menos possibilidade de você precisar saber como lidar com comentários negativos. Isso porque as pessoas que comparecem ao seu coworking tendem a ser sempre as mesmas. Ou seja, há um grande potencial de fidelização.

Mais do que isso, os usuários começam a construir relacionamentos e a colaborarem uns com os outros. Isso traz uma relevância maior para o coworking, que deixa de ser um local para trabalhar para se tornar um espaço de apoio, compartilhamento de experiências e fortalecimento das relações.

Fortalecimento do coworking corporativo

O escritório flexível pode ser usado por qualquer pessoa, mas uma das tendências para os coworkings em 2022 é o fortalecimento da utilização por parte das empresas. Apesar desse movimento já existir desde antes da pandemia, vem se fortalecendo para reduzir os custos com infraestrutura.

Além disso, oferecer essa opção também é uma estratégia para encontrar talentos em qualquer lugar do mundo — inclusive, os chamados nômades digitais. Ainda existem outros motivos pelos quais os gestores vão optar pelos coworkings:

  • Descentralização do espaço do escritório;
  • Suporte aos trabalhadores que preferem trabalhar mais perto de casa;
  • Redução dos contratos imobiliários de longo prazo;
  • Suporte aos colaboradores que preferem continuar trabalhando 100% do tempo no regime remoto.

Ou seja, o objetivo das empresas é reduzir custos e atrair talentos. Daí surgem vários outros benefícios, como a retenção de colaboradores e o aumento da flexibilidade e da agilidade dos processos. Por isso, ´é importante adotar estratégias para aproveitar essa tendência.

Como? Algumas alternativas são:

  • Ofereça salas privativas e de reunião;
  • Estabeleça contratos de curto e longo prazo;
  • Personalize o espaço de trabalho, por exemplo, pelo modelo built to suit;
  • Ofereça um escritório flexível para abranger as demandas do trabalho híbrido.

Foco na saúde

A pandemia permitiu que as pessoas ficassem em casa para protegerem sua saúde. No entanto, muitos colaboradores acabaram tendo problemas com ansiedade, fadiga excessiva e até síndrome de burnout. Tanto é que 576 mil brasileiros pediram afastamento do trabalho devido a transtornos mentais e comportamentais em 2020.

Para as empresas, esse cenário representa queda de produtividade e aumento de custos. Por isso, uma das tendências para os coworkings em 2022 é o foco na saúde dos colaboradores. Essa está sendo a postura adotada pelas empresas. Pelo menos, 33% delas têm interesse em implementar medidas para aumentar a qualidade de vida e o bem-estar dos seus profissionais.

Inclusive, até 2023, 78% das companhias pretendem personalizar estratégias de saúde de acordo com as necessidades dos colaboradores em diferentes períodos da vida.

Essas medidas resultam em benefícios financeiros para o negócio. Em evento realizado em 2021, o diretor da Mondelez Brasil, Jorge Morato, relatou que o retorno pode ser três vezes maior quando há investimentos na saúde e no bem-estar dos colaboradores.

Como isso impacta os coworkings? Existe uma relação clara com o aumento do faturamento nesse tipo de negócio. Porém, isso só é verificado por aqueles que adotam as boas práticas. Veja quais são elas:

  • Adoção de medidas de higiene e protocolos sanitários, a fim de oferecer a experiência de trabalho mais segura possível;
  • Uso de móveis e cadeiras ergonômicos, que tragam conforto para o período em que os usuários ficarem no escritório flexível;
  • Inclusão de aulas fitness ou de um espaço/parceria com academia para incentivar os clientes a fazerem atividades físicas.
tendências para coworkings em 2022

Mudança para cidades menores

No começo, os coworkings apareceram nos grandes centros urbanos, especialmente São Paulo e Rio de Janeiro. Com a pandemia e o estabelecimento do trabalho remoto, aumentou a preferência por cidades menores. Por isso, os escritórios flexíveis precisam se adaptar.

Acha que essa informação está errada? Saiba que 25% dos brasileiros se mudaram para cidades menores, conforme uma pesquisa da consultoria Talenses. O motivo foi a busca por qualidade de vida, já que esses profissionais estavam em grandes cidades apenas devido às oportunidades de carreira.

Dentro desse cenário, os escritórios flexíveis em cidades de médio porte tendem a ganhar espaço. Eles representam uma forma do colaborador ainda trabalhar em um espaço apropriado, sem se preocupar com o tempo de deslocamento.

Além dessa ampliação de locais, os coworkings também têm a oportunidade de se cadastrar em plataformas com soluções de assinatura. Assim, uma mesma empresa pode ter colaboradores em vários locais do Brasil e você, como gestor, continuará tendo o retorno esperado.

Sustentabilidade

A última das principais tendências para coworkings em 2022 é o “pensar verde”. Implementar ações sustentáveis ajuda a atrair pessoas comprometidas com o meio ambiente, além de mostrar que a sua empresa é responsável.

Se nenhuma dessas iniciativas é adotada no seu escritório flexível, comece com a reciclagem e redução de uso dos plásticos. Por exemplo, que tal oferecer canecas para os usuários do espaço? Ou incentivar que todos tragam os seus próprios copos, talheres etc.?

Conforme a sua capacidade aumenta, aproveite para usar a energia dos painéis solares, deixe a iluminação natural agir no ambiente, coloque plantas na decoração e mais. Essas ações são simples, mas fazem toda a diferença.

Como você pôde perceber, as tendências para coworkings em 2022 são simples de serem aplicadas e estão condizentes com as mudanças causadas pela pandemia. Adotá-las é uma forma de ganhar competitividade e fazer o seu escritório flexível se destacar da concorrência.

Quer ver outras formas de atrair e reter mais clientes? Saiba o que fazer para preparar seu coworking para reserva de DayPass.


Texto escrito por Fabíola Thibes, jornalista e redatora web.

espaço kids no coworking

Espaço kids no coworking: como garantir hospitalidade e segurança

coworkingFuturo do TrabalhoHospitalidade

O espaço kids no coworking precisa oferecer brinquedos e possibilidades de atividades. Também requer um cuidador e outras adaptações. Porém, é um fator de vantagem competitiva. Saiba mais!

Você já pensou se perde reservas no seu escritório compartilhado devido à falta de um espaço kids no coworking? Acredite ou não, isso pode acontecer.

Essa comodidade acaba sendo mais relevante para mulheres que não têm uma rede de apoio estruturada e acabam saindo do mercado de trabalho por vários motivos.

Um deles é o fato de serem demitidas assim que voltam da licença-maternidade. Ainda, existem mães que não querem colocar os filhos pequenos em tempo integral na creche ou na escolinha. Sem contar que a manutenção de uma rede de apoio tem custo alto.

Essa situação é tão gritante que uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostrou que 48% das mulheres saem de seus empregos após a licença-maternidade. Além disso, 75% optam por começarem seus negócios próprios após a maternidade — um reflexo dos problemas no mercado de trabalho. Quando o foco é apenas a classe C, o índice chega a 83%.

Esses são alguns dos motivos que mostram a importância de ter um espaço kids no coworking. Ainda tem mais. É preciso saber organizar bem o ambiente e entender quais fatores fazem a diferença. Que tal conferir as ideias e saber por que esse pode ser o seu diferencial?

espaço kids no coworking

Por que é válido ter um espaço kids no coworking?

A relação entre maternidade e ambiente corporativo sempre foi desafiadora. Dados do IBGE demonstram que as mulheres ganham cerca de 80% menos do que os homens para desempenhar as mesmas funções. Nos Estados Unidos, 36% das mulheres enfrentaram uma interrupção na carreira depois de serem mães.

Sem contar que uma mulher sem filhos tem 80% mais chance de ser contratada e ganha cerca de 11 mil dólares por ano a mais do que as mães. O que tudo isso tem a ver com ter um espaço kids no coworking? Tudo!

Esse pode ser o seu diferencial. Uma chance de conquistar vantagem competitiva e mostrar que o seu escritório compartilhado é o melhor para as famílias. Esse benefício fica ainda mais visível quando vemos que, na Europa, apenas 25% desses ambientes aceitam crianças e somente 2% têm um local dedicado ao cuidado delas.

No entanto, essa realidade está mudando. Muitos coworkings já oferecem enfermarias e outras facilidades para acomodar as crianças. Países como Itália, Alemanha, Espanha e Inglaterra já entraram nessa onda. Afinal, esses são detalhes atenciosos que os clientes adoram.

Para os community managers, é bastante benéfico usar essa estratégia. A ideia é manter os mesmos elementos de um coworking tradicional, mas complementar o local com um espaço kids. Existem variações para definir como esse cuidado será ofertado. De toda forma, as principais vantagens são:

  • atração de mais clientes;
  • engajamento dos usuários;
  • aumento do número de reservas.

É claro que esses benefícios só podem ser alcançados quando você adapta bem o espaço kids do coworking. Por isso, a seguir, vamos explicar o que ele precisa ter.

O que precisa ter no espaço kids do coworking?

Para começar, você deve entender que o seu coworking precisará de algumas facilidades extras para garantir a hospitalidade e a segurança. Esses são os critérios que vão diferenciar o seu escritório compartilhado adaptado, em comparação com os tradicionais.

O que oferecer? Algumas dicas são:

  • garantir alimentação saudável, como frutas, água e biscoitos para crianças;
  • criar um design específico para crianças que também agrade aos pais, como paredes coloridas;
  • oferecer eletrônicos para que as crianças se divirtam com várias atividades;
  • ter uma internet veloz e estável;
  • assegurar o conforto do local, com pufes, almofadas e cadeiras;
  • contar com profissionais capacitadas para cuidar das crianças;
  • ter um playground bem equipado;
  • implementar um sistema de controle de acesso e um software para assistir às crianças.

O que precisa ter para adaptar o seu escritório compartilhado?

Durante esse processo de ajuste do seu coworking tradicional, é preciso lembrar que, definitivamente, trabalhar em casa não é nada produtivo. Por isso, os pais tendem a se interessar pelo espaço kids no escritório tradicional. Por isso, é fundamental investir em uma relação de confiança.

Os pais devem acreditar que seus filhos estarão em um bom lugar. Caso contrário, tendem a ficar preocupados e não trabalham da melhor forma. Isso fará com que não voltem ao seu coworking.

Para construir essa relação de confiança, vale a pena adaptar seu espaço conforme as dicas apresentadas e ainda ter disposição para dialogar. Ouça o que os pais esperam, veja qual é o feedback recebido pelos colaboradores e pense em constantes melhorias.

Além disso, crie uma rotina. Sim, as crianças precisam de horários mais rígidos. Por isso, a flexibilidade fornecida pelo coworking precisa ser ajustada nesse caso. Enquanto os usuários continuarão a usar o escritório compartilhado como quiserem, o espaço kids deve ter horários fixos para refeições, brincadeiras e atividades educacionais.

espaço kids no coworking

O que é necessário organizar?

Você também deve pensar em dividir a área para crianças pequenas e adolescentes. Os interesses são diferentes e devem ser respeitados. Para os menores, deixe espaços para guardar a mochila, a lancheira e mais. Ofereça papéis, lápis de cor, borrachas, marcadores, tesouras, massinhas e outros itens que ajudam nas brincadeiras.

Já os adolescentes querem apenas sentar e usar a internet. Por isso, ofereça um espaço com videogames, mesa de ping pong e outras atividades dinâmicas.

O que fazer com os bebês com menos de 1 ano? Existem duas opções: oferecer uma enfermaria com toda a infraestrutura necessária ou limitar o acesso. No primeiro caso, você precisará investir uma quantia significativa. Por isso, é importante listar os custos e ver se vale a pena. Isso evita problemas e a perda de confiança do seu cliente.

É preciso fazer algum investimento?

Sim, afinal, você terá que fazer as mudanças já citadas. De modo geral, você terá que oferecer uma estrutura completa para as crianças, além de ter as estações de trabalho, salas de reunião e áreas comuns. Algumas ideias para colocar na área interna e externa do espaço kids do coworking são:

  • grama;
  • mangueira;
  • brinquedoteca;
  • balanço;
  • quartinho da soneca;
  • banheiro infantil.

Além disso, vale a pena oferecer um espaço para as mães amamentarem ou extraírem o leite, se necessário. Essas atitudes demonstram responsabilidade e ajudam muito na oferta de hospitalidade e segurança.

De toda forma, vale a pena saber como lidar com comentários negativos. Como essa tendência ainda é uma novidade no Brasil, ajustes podem ser necessários e o feedback é sempre positivo.

Dicas para garantir hospitalidade e segurança

Além de atentar a todos esses aspectos já citados, você pode seguir mais dicas que ajudarão seu coworking a se destacar com o espaço kids. Veja quais são elas:

  • verifique se você tem área física disponível e estrutura financeira para arcar com a reforma, a compra de brinquedos e mais. Considere, ainda, a necessidade de manutenção;
  • confira a legislação sobre o atendimento a crianças. É preciso que o profissional de apoio seja capacitado;
  • tenha sempre um plano B para entreter as crianças. É normal que elas fiquem entediadas com as brincadeiras que já conhecem. Além disso, ofereça sempre novidades;
  • crie um plano de negócios detalhado. Considere possíveis concorrentes para oferecer o melhor custo-benefício aos seus clientes.

Tomando esses cuidados, você poderá atender desde um nômade digital até uma família completa, sempre garantindo que o seu cliente tenha a melhor infraestrutura possível. Com isso, o espaço kids no coworking se torna uma vantagem competitiva e você torna o seu escritório em um ambiente muito mais inclusivo.

Quer investir ainda mais no seu coworking? Saiba o que fazer para preparar seu coworking para reserva de DayPass e crie uma experiência única para as diárias dos seus clientes.


Texto escrito por Fabíola Thibes, jornalista e redatora web.