Se você nunca fez isso antes, veja como trabalhar em home office

Trabalho remoto

Aprender como trabalhar em home office se tornou uma prioridade para muitos profissionais nesse momento. Se você é um deles, confira as dicas do BeerOrCoffee, uma empresa 100% remota desde o primeiro dia.

Com a pandemia de coronavírus (Covid-19) e a recomendação de isolamento social muitos profissionais que nunca haviam experimentado o trabalho remoto agora estão tendo que adaptar suas rotinas. Mas se você nunca fez isso antes, pode ser um desafio entender como trabalhar em home office de maneira tão repentina.

Felizmente, com algumas pequenas alterações e rituais em casa é possível manter a produtividade e conforto. Além disso, também dá pra melhorar o equilíbrio entre vida pessoal e profissional e, ainda, adquirir novas habilidades relacionadas aos desafios do escritório virtual.

Neste post traremos dicas práticas e muito fáceis de aplicar no seu dia a dia, a fim de que a transição para o trabalho em casa seja mais tranquila do que você imaginava. Continue lendo e entenda como trabalhar em home office da melhor maneira possível!

Tenha um escritório em casa

É muito difícil focar quando você fica migrando da cama para o sofá, do sofá para a cozinha, da cozinha para a mesa de jantar e daí por diante. Para que você consiga manter sua produtividade trabalhando em casa é preciso ter um espaço confortável em que você possa montar uma pequena estrutura de escritório.

Não é necessário separar um cômodo exclusivamente para isso — até porque nem todos têm um quarto sobrando para transformar em escritório. Na maioria das vezes você terá que adaptar uma mesa de jantar, uma penteadeira ou outra bancada para que ela se transforme na sua escrivaninha.

Nesses casos, separe um espaço para seu computador e demais itens pessoais, delimitando sua área de trabalho. Assim, sempre que você estiver ali, saberá que é o momento de concentrar nas tarefas do dia, o que evita que se distraia com outras atividades não relacionadas ao profissional.

Prepare-se como se fosse sair

Por mais que seja tentador ficar de pijama o dia inteiro, essa é uma prática nada recomendável para dias de home office. Colocar uma roupa com a qual você sairia de casa é uma boa estratégia para te dar aquele ânimo a mais — que sabemos que nem sempre temos de manhã, não é mesmo? Além disso, você já fica preparado caso precise fazer uma reunião de vídeo em algum momento.

Por mais que pareça bobagem, o pijama ou moletom nos dão a sensação de estarmos de folga e até mesmo doentes, enquanto uma roupa mais arrumada traz a sensação contrária. Claro que você pode escolher itens mais confortáveis, que talvez não usaria no escritório convencional. Mas tente se produzir pelo menos um pouco. Isso também ajuda a dar um boost na autoestima, importante para a saúde mental em tempos de isolamento.

como trabalhar em home office

Conheça as melhores ferramentas para seu trabalho

Um dos grandes desafios para quem precisa aprender a trabalhar em home office é entender quais são as melhores ferramentas e aplicativos. Afinal, existem inúmeras opções no mercado. E só porque um programa é bom, não quer dizer que ele seja o ideal para as tarefas que você precisa realizar. Por isso, entenda suas opções e escolha de acordo com as necessidades.

Abaixo, separamos alguns dos apps mais versáteis e completos, que utilizamos no BeerOrCoffee e recomendamos:

  • Slack: escritório virtual para sua empresa. Envio de mensagens individuais e em grupos, suporta arquivos pesados como vídeos, PDF e imagens em alta qualidade. Possui integração com inúmeros aplicativos, como GSuite e Zoom;
  • Clockwise: aplicativo que organiza sua agenda e da sua equipe. De acordo com a disponibilidade de cada um, otimiza o tempo de foco e as reuniões do dia;
  • Zoom: para chamadas de vídeo com duas ou mais pessoas. Suporta compartilhamento de tela e som do computador, além de comportar até 100 participantes no plano gratuito;
  • Tandem: programa para chamadas de voz. Separado por salas, permite que equipes tenham conversas rápidas e resolvam problemas urgentes;
  • Notion: plataforma de planejamento e organização. É aonde você pode colocar tudo que precisa ser feito, o que está em andamento e aquilo que já foi executado;
  • Loom: programa de gravação de tela. Precisa explicar uma tarefa para um colega? Utilize o Loom para gravar sua tela, voz e câmera sem precisar marcar uma ligação. O arquivo fica disponível para todos que tiverem o link;
  • GSuite: armazenamento na nuvem. Além do Gmail, ferramenta essencial para armazenamento de arquivos — Google Drive, Documentos, Planilhas etc.

Mantenha sua rotina como antes, na medida do possível

Se você trabalha em escritório provavelmente tem uma rotina de horários — para acordar, se exercitar, se alimentar, e por aí vai. Estando em casa, esses horários ficam mais flexíveis. Mas tente manter, pelo menos, alguns hábitos rotineiros.

É importante cuidar da saúde (física e mental), além de dar atenção aos amigos e familiares. Como sabemos, esses fatores influenciam diretamente na produtividade e satisfação no trabalho, mas também são essenciais para o equilíbrio a longo prazo.

como trabalhar em home office

E por falar em equilíbrio, lembre-se de não trabalhar demais. Desligue o computador, desconecte-se do e-mail corporativo e dê-se como satisfeito quando souber que tiver feito o seu melhor naquele dia. Trabalhando em casa muitas pessoas tendem a “responder só mais uma mensagem” ou “fazer só mais uma tarefa” e, quando se dão conta, estão trabalhando muito mais do que deveriam.

Permita-se sentir a diferença

Neste momento aprender como trabalhar em home office não é uma opção, mas uma necessidade. E ficar dentro de casa, para muitos, pode ser frustrante e cansativo. Saiba que é normal sentir-se assim — e tudo bem, estamos todos no mesmo barco. Converse com seus colegas, gestores, amigos e familiares. Encontre maneiras de se distrair, mas também não se sinta culpado por não ser tão produtivo em determinados dias.

Se você gostou dessas dicas e quer se aprofundar ainda mais sobre o assunto, confira o e-book que preparamos com informações ainda mais completas para você aplicar o trabalho remoto em home office. Para acessar o material, clique aqui.

trabalho remoto

8 estatísticas sobre o trabalho remoto que você precisa conhecer

Sem categoria

O trabalho remoto tem se tornado uma prática cada dia mais comum no mundo inteiro graças à conectividade. Atualmente, os espaços de coworking têm tornado essa modalidade ainda mais utilizada, graças às diversas vantagens que ela traz, tanto para empresas quanto para colaboradores. Algumas das estatísticas sobre trabalho remoto comprovam esse cenário.

Os benefícios desse modo de trabalhar vão desde o aumento da produtividade e ampliação do networking, até o auxílio na preservação do meio ambiente, já que muitos recursos deixam de ser necessários ou passam a ser compartilhados em escritórios colaborativos. Isso sem contar com melhora na saúde mental dos profissionais que aderem à prática.

Para ajudar você a entender melhor esse fenômeno, que tende a crescer ainda mais no mundo inteiro, trouxemos 10 estatísticas sobre o trabalho remoto que, certamente o convencerão a aderir a esse modo de trabalhar. Vamos conferir?

1. Traz até 43% de aumento na produtividade

Os colaboradores da JD Edwards que trabalham remotamente são entre 20 e 25% mais produtivos que seus colegas que têm seus postos de trabalho dentro do escritório da empresa.

Na Americam Express o cenário é ainda mais ousado: os profissionais remotos apresentam 43% a mais de produtividade. Esses dados foram divulgados pela Global Workplaces Analytics e estão no blog da Time Doctor. Já a pesquisa realizada pela Stanford revela um aumento de 13% na produtividade de profissionais remotos.

Esse cenário, demonstrado pelas estatísticas sobre trabalho remoto, se deve a diversos fatores que veremos nos tópicos a seguir, como o melhor aproveitamento do tempo e maior satisfação pessoal.

2. Diminui os gastos por profissional em até U$ 11 mil ao ano

No blog da SmallBizGenius há informações de que a economia anual por profissional que trabalha remotamente chega a 11 mil dólares.

Essa redução acontece, pois, despesas como hardware, energia elétrica e conexão com a internet são drasticamente reduzidas quando se opta por trabalhar em espaços de coworking, por exemplo. 

Todos esses custos passam a ser divididos entre os demais usuários do escritório compartilhado, por isso, ficam mais viáveis do que a manutenção de toda essa estrutura para uma única empresa.

Além disso, os gastos do próprio profissional com transporte, alimentação e cuidados com os filhos são reduzidos em até 7 mil dólares por ano, segundo a TECLA.

3. As empresas que adotam o trabalho remoto apresentam um crescimento médio de 89%

O International Workplace Group mostrou que os benefícios do trabalho remoto chegam também às empresas que o adotam. Em 2018 o crescimento médio dessas companhias foi de 89% e a tendência é aumentar.

Isso se deve maior nível de comprometimento dos profissionais que conquistam esse benefício e, consequentemente, desenvolvem a sua capacidade de autogestão, impulsionada por metas claras e bem definidas.

trabalho remoto

4. Reduz a emissão de gazes poluentes equivalentes a 600 mil carros

O trabalho remoto não beneficia apenas profissionais e empresas, ele também ajuda na preservação do meio ambiente. Por exemplo, pessoas que trabalham em home office e deixam de usar meios de trasportes motorizados para se deslocar até o local de trabalho reduzem a emissão de gazes gerados pela queima de combustíveis fósseis.

Além disso, nos espaços de coworking, os recursos são compartilhados e o uso de descartáveis desencorajado. Outra vantagem desses locais é que se pode escolher os que ficam mais próximos da casa do profissional, possibilitando que ele use meios de transporte alternativos e mais saudáveis, como a bicicleta.

5. Trabalhadores remotos sofrem 82% menos stress

O stress no trabalho é uma das principais causas de redução da produtividade dos profissionais, porém, de acordo com o blog da TECLA, as pessoas que trabalham remotamente sofrem menos com esse problema.

Isso se deve ao fato de não se sentirem tão pressionados, terem a opção de escolher o ambiente no qual desejam trabalhar, além de poderem aproveitar os horários que se sentem mais dispostos e produtivos e, ainda, conseguem ter uma convivência mais próxima com seus familiares. Por exemplo, acompanhando a educação dos filhos mais de perto.

6. Economiza até 11 dias no ano em tempo de locomoção

O tempo perdido com o deslocamento do profissional até a empresa, além de ser outro fator que gera estresse, é, muitas vezes, um período completamente ocioso que poderia ser aproveitado de outras maneiras, como com a prática de exercícios, por exemplo.

O home office elimina esse problema, e os espaços de coworking oferecem a opção de escolha do local onde o profissional prefere trabalhar, fazendo com que ele opte por escritórios mais próximo de onde reside. Com essa prática, segundo o blog da SmallBizGenius, é possível ganhar 11 dias ao ano.

7. 44% dos trabalhadores remotos optam por tirar apenas de 2 a 3 semanas de férias por ano

Segundo a pesquisa State of Remote Work 2019 da Buffer somente 7% dos trabalhadores remotos optam por tirar férias anuais. Isso acontece, pois, a flexibilidade que essa modalidade de trabalho oferece permite que as atividades sejam feitas mesmo quando o profissional está em viagem, por exemplo.

Outro fator que influencia nessa escolha é que os ganhos do trabalhador remoto, muitas vezes, estão diretamente ligados a sua produtividade, assim como, a sua manutenção nessa condição de trabalho.

8. 51% dos profissionais deixam seus empregos se encontram opções mais flexíveis

No relatório do Gallup, que teve como base uma pesquisa com 31 mil respondentes de mais de 1000 empresas, ficou claro que a maioria dos profissionais gostaria de mudar de emprego para ter a chance de trabalhar com uma agenda mais flexível.

Diante de um cenário como esse, é preciso considerar essa modalidade de trabalho para conseguir reter talentos.

Como você viu com essas estatísticas sobre o trabalho remoto, optar pela mudança para escritórios de coworking, ou mesmo, pelo home office traz diversos benefícios para profissionais e empresas e, até mesmo, para o meio ambiente. Por isso, vale a pena considerar essa possibilidade, já que 85% dos gestores no mundo inteiro acreditam que as equipes formadas por trabalhadores remotos serão mais comuns do que as internas.

Quer saber mais sobre como funciona o trabalho remoto? Então, aproveite para fazer um teste grátis em um dos +1000 coworkings da rede BeerOrCoffee e comece a experimentar uma nova forma de trabalho!

Silvia Seco é publicitária, especializada em gestão de marketing digital e produção de conteúdo. Uma verdadeira apaixonada por criação, design, inovação, tecnologia e histórias bem contadas.