vida profissional

6 principais tendências para a vida profissional em 2021

coworkingNetworkingSem categoria

“Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial. Industrializou a esperança fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e a vontade de acreditar que daqui para adiante vai ser diferente”.

O poema “Cortar o tempo”, de Roberto Pompeu de Toledo, nos faz refletir sobre a importância de termos ciclos com início, meio e fim em nossa vida. Ele demonstra a relevância de nos renovarmos, reciclarmos as nossas ideias e assim não chegarmos ao limite da exaustão. Isso vale tanto para a vida profissional, quanto para a pessoal.

Então, mesmo com todas as adversidades por conta da pandemia, você pode se destacar na vida profissional neste ano. Neste texto, trouxemos 6 tendências que podem ser seguidas na sua vida profissional, em 2021. Acompanhe!

1. Contratação via aplicativos

É cada vez mais comum a contratação de profissionais várias áreas por meio de aplicativos. Quem popularizou essa prática foi o Uber, oferecendo serviços de corridas de carro por valores mais acessíveis e qualidade superior aos de táxi.

Porém, os motoristas já não têm exclusividade em oferecer serviços por app. Atualmente, é possível contratar diaristas, encanadores, eletricistas, marceneiros, profissionais de marketing, advogados, contadores e até mesmo chamar médicos por um aplicativo.

A tendência é que em 2021 essa realidade seja ainda mais presente e que mais pessoas se habituem a prestar e contratar serviços diversos por meio dos apps e plataformas que colocam clientes e profissionais em contato.

2. Ubiquidade na vida profissional

Ubiquidade significa existir concomitantemente em todos os lugares e essa também é uma tendência que deverá ganhar força no ano de 2021. Enquanto no século XX a onipotência humana imperava, no século XXI estamos nos tornando cada vez mais oniscientes e onipresentes.

As ferramentas de atendimento automático, como os chatbots, demonstram como a ubiquidade está cada vez mais presente na vida profissional. Com elas, é possível realizar atividades sem estar necessariamente no mesmo tempo ou lugar das pessoas com que se relaciona.

Qualquer empresa ou trabalhador autônomo pode criar uma conta no WhatsApp Business, por exemplo. Assim, mensagens automáticas podem ser criadas para responder a dúvidas frequentes dos clientes, mesmo que elas sejam enviadas fora do horário comercial. Isso é ser ubíquo.

3. Prática do BYOD nas empresas

BYOD é uma sigla em inglês para “Bring Your Own Device”, que traduzida para o nosso idioma significa “traga o seu próprio dispositivo”. Trata-se de uma metodologia cada vez mais utilizada por organizações de diversos segmentos.

A ideia é que os colaboradores das empresas possam utilizar os seus próprios dispositivos, como smartphones e tablets, e otimizam a vida profissional. Porém, para que isso aconteça de forma adequada, uma série de políticas precisam ser implementadas para que ocorram benefícios para ambas as partes.

Um exemplo prático do BYOD pode ser observado quando um jornalista utiliza o seu próprio smartphone para fazer a gravação em áudio de uma entrevista. Assim, ele não precisa dispor de um equipamento do veículo de comunicação em que trabalha para desenvolver as suas atividades.

É claro que uma grande indústria não pode obrigar um operário a comprar uma máquina que custa milhares de reais, mas se for preciso utilizar o smartphone para alguma operação, não haverá problema. Hoje em dia é praticamente impossível encontrar alguém que não utilize os equipamentos digitais em sua rotina.

4. Conservação do meio-ambiente

Tragédias ambientais, como o recente rompimento de uma barragem em Brumadinho  MG, têm feito com que as pessoas e empresas cada vez mais fiquem atentas para as questões que envolvem a conservação dos recursos naturais.

Dentro desse contexto, será cada vez mais comum que tenhamos que mudar velhos hábitos nas organizações. Além disso, os próprios clientes estão mais conscientes e cobrando posturas sustentáveis das empresas com as quais fazem negócios.

Ações simples do dia a dia, como cada colaborador levar a sua caneca para o trabalho, em vez de usar copos plásticos descartáveis, ajudam para que o meio ambiente seja conservado. Afinal, se cada um fizer a sua parte teremos um resultado muito mais positivo, concorda?

5. Trabalho remoto

Com a pandemia da Covid-19, o trabalho remoto foi adiantado em cerca de 10 anos. Da noite para o dia, milhares de profissionais passaram a trabalhar de lugares que não necessariamente são o escritório tradicional.

O trabalho remoto gera economia para as organizações, que não precisam gastar pagando vale-transporte para os funcionários, por exemplo.

As ferramentas tecnológicas, como os softwares em nuvem e as plataformas online, também contribuem para que as atividades da vida profissional feitas em casa sejam tão eficientes quanto o serviço feito na sede da empresa.

6. Uso de coworkings

Os coworkings são escritórios compartilhados em que profissionais de diversas áreas dividem o mesmo espaço para desenvolver as suas atividades de trabalho. Esse modelo está em constante crescimento e deve ser acentuado em 2021.

Nos escritórios compartilhados, os profissionais liberais podem receber clientes para reuniões, organizar eventos, desenvolver treinamentos ou simplesmente utilizarem as estações e demais recursos para efetuarem as suas atividades.

Profissionais que trabalham no esquema home office e que sentem falta de um ambiente em que possam interagir com outras pessoas também podem se beneficiar com os coworkings.

Esses espaços já estão presentes em diversas capitais e grandes centros urbanos brasileiros. Na rede do BeerOrCoffee, por exemplo, já são mais de centenas de espaços de trabalho compartilhados.

Essas são algumas das principais tendências para a vida profissional em 2021. Você está preparado para elas? Lembre-se de que é importante estar sempre alinhado com o que está em alta no mercado e assim conquistar uma carreira de sucesso.

Se você se identifica com essas ideias, aproveite para conhecer o OfficePass, o programa de assinatura do BeerOrCoffee que permite que você e sua equipe tenham acesso a todos espaços de trabalho da rede.


Texto escrito por Lucas Flores, Relações Públicas e mestre em Letras, Cultura e Regionalidade. Desde 2013, trabalha com produção de conteúdo para web e há cerca de um ano trocou o interior do RS pela capital Porto Alegre.

trabalho remoto

8 estatísticas sobre o trabalho remoto que você precisa conhecer

Sem categoria

O trabalho remoto tem se tornado uma prática cada dia mais comum no mundo inteiro graças à conectividade. Atualmente, os espaços de coworking têm tornado essa modalidade ainda mais utilizada, graças às diversas vantagens que ela traz, tanto para empresas quanto para colaboradores. Algumas das estatísticas sobre trabalho remoto comprovam esse cenário.

Os benefícios desse modo de trabalhar vão desde o aumento da produtividade e ampliação do networking, até o auxílio na preservação do meio ambiente, já que muitos recursos deixam de ser necessários ou passam a ser compartilhados em escritórios colaborativos. Isso sem contar com melhora na saúde mental dos profissionais que aderem à prática.

Para ajudar você a entender melhor esse fenômeno, que tende a crescer ainda mais no mundo inteiro, trouxemos 10 estatísticas sobre o trabalho remoto que, certamente o convencerão a aderir a esse modo de trabalhar. Vamos conferir?

1. Traz até 43% de aumento na produtividade

Os colaboradores da JD Edwards que trabalham remotamente são entre 20 e 25% mais produtivos que seus colegas que têm seus postos de trabalho dentro do escritório da empresa.

Na Americam Express o cenário é ainda mais ousado: os profissionais remotos apresentam 43% a mais de produtividade. Esses dados foram divulgados pela Global Workplaces Analytics e estão no blog da Time Doctor. Já a pesquisa realizada pela Stanford revela um aumento de 13% na produtividade de profissionais remotos.

Esse cenário, demonstrado pelas estatísticas sobre trabalho remoto, se deve a diversos fatores que veremos nos tópicos a seguir, como o melhor aproveitamento do tempo e maior satisfação pessoal.

2. Diminui os gastos por profissional em até U$ 11 mil ao ano

No blog da SmallBizGenius há informações de que a economia anual por profissional que trabalha remotamente chega a 11 mil dólares.

Essa redução acontece, pois, despesas como hardware, energia elétrica e conexão com a internet são drasticamente reduzidas quando se opta por trabalhar em espaços de coworking, por exemplo. 

Todos esses custos passam a ser divididos entre os demais usuários do escritório compartilhado, por isso, ficam mais viáveis do que a manutenção de toda essa estrutura para uma única empresa.

Além disso, os gastos do próprio profissional com transporte, alimentação e cuidados com os filhos são reduzidos em até 7 mil dólares por ano, segundo a TECLA.

3. As empresas que adotam o trabalho remoto apresentam um crescimento médio de 89%

O International Workplace Group mostrou que os benefícios do trabalho remoto chegam também às empresas que o adotam. Em 2018 o crescimento médio dessas companhias foi de 89% e a tendência é aumentar.

Isso se deve maior nível de comprometimento dos profissionais que conquistam esse benefício e, consequentemente, desenvolvem a sua capacidade de autogestão, impulsionada por metas claras e bem definidas.

trabalho remoto

4. Reduz a emissão de gazes poluentes equivalentes a 600 mil carros

O trabalho remoto não beneficia apenas profissionais e empresas, ele também ajuda na preservação do meio ambiente. Por exemplo, pessoas que trabalham em home office e deixam de usar meios de trasportes motorizados para se deslocar até o local de trabalho reduzem a emissão de gazes gerados pela queima de combustíveis fósseis.

Além disso, nos espaços de coworking, os recursos são compartilhados e o uso de descartáveis desencorajado. Outra vantagem desses locais é que se pode escolher os que ficam mais próximos da casa do profissional, possibilitando que ele use meios de transporte alternativos e mais saudáveis, como a bicicleta.

5. Trabalhadores remotos sofrem 82% menos stress

O stress no trabalho é uma das principais causas de redução da produtividade dos profissionais, porém, de acordo com o blog da TECLA, as pessoas que trabalham remotamente sofrem menos com esse problema.

Isso se deve ao fato de não se sentirem tão pressionados, terem a opção de escolher o ambiente no qual desejam trabalhar, além de poderem aproveitar os horários que se sentem mais dispostos e produtivos e, ainda, conseguem ter uma convivência mais próxima com seus familiares. Por exemplo, acompanhando a educação dos filhos mais de perto.

6. Economiza até 11 dias no ano em tempo de locomoção

O tempo perdido com o deslocamento do profissional até a empresa, além de ser outro fator que gera estresse, é, muitas vezes, um período completamente ocioso que poderia ser aproveitado de outras maneiras, como com a prática de exercícios, por exemplo.

O home office elimina esse problema, e os espaços de coworking oferecem a opção de escolha do local onde o profissional prefere trabalhar, fazendo com que ele opte por escritórios mais próximo de onde reside. Com essa prática, segundo o blog da SmallBizGenius, é possível ganhar 11 dias ao ano.

7. 44% dos trabalhadores remotos optam por tirar apenas de 2 a 3 semanas de férias por ano

Segundo a pesquisa State of Remote Work 2019 da Buffer somente 7% dos trabalhadores remotos optam por tirar férias anuais. Isso acontece, pois, a flexibilidade que essa modalidade de trabalho oferece permite que as atividades sejam feitas mesmo quando o profissional está em viagem, por exemplo.

Outro fator que influencia nessa escolha é que os ganhos do trabalhador remoto, muitas vezes, estão diretamente ligados a sua produtividade, assim como, a sua manutenção nessa condição de trabalho.

8. 51% dos profissionais deixam seus empregos se encontram opções mais flexíveis

No relatório do Gallup, que teve como base uma pesquisa com 31 mil respondentes de mais de 1000 empresas, ficou claro que a maioria dos profissionais gostaria de mudar de emprego para ter a chance de trabalhar com uma agenda mais flexível.

Diante de um cenário como esse, é preciso considerar essa modalidade de trabalho para conseguir reter talentos.

Como você viu com essas estatísticas sobre o trabalho remoto, optar pela mudança para escritórios de coworking, ou mesmo, pelo home office traz diversos benefícios para profissionais e empresas e, até mesmo, para o meio ambiente. Por isso, vale a pena considerar essa possibilidade, já que 85% dos gestores no mundo inteiro acreditam que as equipes formadas por trabalhadores remotos serão mais comuns do que as internas.

Quer saber mais sobre como funciona o trabalho remoto? Então, aproveite para fazer um teste grátis em um dos +1000 coworkings da rede BeerOrCoffee e comece a experimentar uma nova forma de trabalho!

Silvia Seco é publicitária, especializada em gestão de marketing digital e produção de conteúdo. Uma verdadeira apaixonada por criação, design, inovação, tecnologia e histórias bem contadas.