trabalho remoto

Futuro das organizações: 5 questões essenciais do trabalho remoto

CarreiracoworkingNômade DigitalTrabalho remoto

O trabalho remoto é uma realidade cada vez comum no dia a dia de muitas empresas e profissionais no redor do mundo, inclusive no Brasil.

Cada vez mais marcas estão identificando que é possível delegar atividades para os seus funcionários, independentemente da localização geográfica.

Isso significa, portanto, que hoje há milhares e milhares de pessoas abraçando uma nova forma de trabalhar.

Neste texto, vou destacar o futuro das organizações, que na verdade já está acontecendo. Assim, a seguir, mostro 5 questões essenciais do trabalho remoto. Acompanhe!

1. Produtividade

De acordo com uma pesquisa realizada pelo CanadaLife, os trabalhadores remotos se consideram profissionais mais produtivos. As pessoas que trabalham em casa, em coworkings e em cafés avaliaram sua produtividade em 7,7, em um total de 10. Já aqueles que atuam em escritórios convencionais classificaram a produtividade em 6,5.

Sendo assim, vale concluir que trabalhar em espaços como a casa ou um coworking é ótimo para a produtividade. É preciso deixar claro que a questão de trabalhar longe da empresa tem a ver com mais satisfação por parte dos profissionais e, assim, há mais eficiência na entrega das atividades e dos resultados.

2. Liderança

Segundo um estudo do PowWowNow, 56% dos trabalhadores consideram que os gestores precisam adaptar suas habilidades, a fim de desenvolver competências particulares para liderar uma força de trabalho remota.

Para um profissional liderar um time remoto, ele precisa desenvolver ao menos quatro particularidades

  • Definir expectativas: é preciso alinhar, por exemplo, quando o colaborador estará disponível. Além disso, os objetivos a serem conquistados também precisam estar muito claros;
  • Usar a tecnologia a seu favor: ferramentas como Slack, Google Meeting e Trello são essenciais para as reuniões de trabalho e conectar todo o time;
  • Estar disponível para o time: o líder remoto pode, por exemplo, deixar um sinal nas ferramentas de online ou não. Assim, fica mais fácil de os funcionários entrarem em contato;
  • Confiar na equipe: como não poderia deixar de ser, uma liderança remota precisa confiar na sua equipe. A partir disso, é acompanhar o desempenho dos profissionais e o resto acabará acontecendo.

3. Motivação

Ainda de acordo com a mesma publicação do PowNowWow, 58% dos profissionais que trabalham fora dos escritórios identificaram muitas melhorias em seus níveis de motivação durante a execução das atividades.

A Cisco Brasil, por exemplo, é uma empresa que defendem que seus trabalhadores devem atuar de forma remota. Dessa forma, além de reduzir diversas despesas, possibilita que os funcionários se tornem ainda mais motivados.

As pessoas não precisam, por exemplo, enfrentar trânsito, gastar com combustível e ainda têm liberdade para trabalhar na hora e local que quiserem. Por esses e outros motivos, a rotatividade dos funcionários da empresa é baixa, de cerca de 2% ao ano.

4. Tarefas importantes

A FlexJobs fez uma pesquisa com trabalhadores norte-americanos e identificou que 76% dos profissionais prefere realizar tarefas importantes em outros locais além dos escritórios convencionais. Além disso, 82% relatou que seria mais leal ao seu atual empregador se a empresa contasse com modelos de trabalho flexíveis.

Para que isso dê certo, no entanto, é preciso que a empresa tenha uma cultura organizacional que possibilite a adoção desse modelo de trabalho. Além disso, como já dissemos, é preciso que os funcionários invistam em ferramentas que possibilitam o trabalho a distância eficiente.

5. Esforço

Um estudo da Cardiff University evidenciou que os trabalhadores se esforçam muito mais quando estão trabalhando em casa, em cafés ou em coworkings. Isso acontece, entre outras questões, pelo fato de os trabalhadores se esforçarem naturalmente, a fim de entregar as tarefas delegadas.

Como estão distantes fisicamente, eles precisam mostrar resultados palpáveis que asseguram o avanço das atividades e da carreira em si.

E aí, o que achou dessas 5 questões que fazem a diferença no dia a dia do trabalho remoto? Você se identificou? Fez sentido? Além disso, uma pergunta: você vive ou quer viver experiências de trabalho remoto? Caso esteja dentro do segundo grupo, clicando aqui você garante uma diária grátis em um coworking no país.


Este é um texto escrito por Renato Ribeiro: nômade digital e especialista em produção de conteúdo. Ele ajuda pessoas e marcas a conquistarem visibilidade, autoridade e oportunidades de negócios na web.

vida profissional

6 principais tendências para a vida profissional em 2019

coworkingNetworkingSem categoria

“Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial. Industrializou a esperança fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e a vontade de acreditar que daqui para adiante vai ser diferente”.

O poema “Cortar o tempo”, de Roberto Pompeu de Toledo, nos faz refletir sobre a importância de termos ciclos com início, meio e fim em nossa vida. Ele demonstra a relevância de nos renovarmos, reciclarmos as nossas ideias e assim não chegarmos ao limite da exaustão. Isso vale tanto para a vida profissional, quanto para a pessoal.

Dizem que no Brasil o ano só começa depois do carnaval. Então, você ainda tem alguns dias para se preparar para que 2019 seja um sucesso. Neste texto, trouxe 6 tendências que podem ser seguidas na sua vida profissional, em 2019. Acompanhe!

1. Contratação via aplicativos

É cada vez mais comum a contratação de profissionais várias áreas por meio de aplicativos. Quem popularizou essa prática foi o Uber, oferecendo serviços de corridas de carro por valores mais acessíveis e qualidade superior aos de táxi.

Porém, os motoristas já não têm exclusividade em oferecer serviços por app. Atualmente, é possível contratar diaristas, encanadores, eletricistas, marceneiros, profissionais de marketing, advogados, contadores e até mesmo chamar médicos por um aplicativo.

A tendência é que em 2019 essa realidade seja ainda mais presente e que mais pessoas se habituem a prestar e contratar serviços diversos por meio dos apps e plataformas que colocam clientes e profissionais em contato.

2. Ubiquidade na vida profissional

Ubiquidade significa existir concomitantemente em todos os lugares e essa também é uma tendência que deverá ganhar força no ano de 2019. Enquanto no século XX a onipotência humana imperava, no século XXI estamos nos tornando cada vez mais oniscientes e onipresentes.

As ferramentas de atendimento automático, como os chatbots, demonstram como a ubiquidade está cada vez mais presente na vida profissional. Com elas, é possível realizar atividades sem estar necessariamente no mesmo tempo ou lugar das pessoas com que se relaciona.

Qualquer empresa ou trabalhador autônomo pode criar uma conta no WhatsApp Business, por exemplo. Assim, mensagens automáticas podem ser criadas para responder a dúvidas frequentes dos clientes, mesmo que elas sejam enviadas fora do horário comercial. Isso é ser ubíquo.

3. Prática do BYOD nas empresas

BYOD é uma sigla em inglês para “Bring Your Own Device”, que traduzida para o nosso idioma significa “traga o seu próprio dispositivo”. Trata-se de uma metodologia cada vez mais utilizada por organizações de diversos segmentos.

A ideia é que os colaboradores das empresas possam utilizar os seus próprios dispositivos, como smartphones e tablets, e otimizam a vida profissional. Porém, para que isso aconteça de forma adequada, uma série de políticas precisam ser implementadas para que ocorram benefícios para ambas as partes.

Um exemplo prático do BYOD pode ser observado quando um jornalista utiliza o seu próprio smartphone para fazer a gravação em áudio de uma entrevista. Assim, ele não precisa dispor de um equipamento do veículo de comunicação em que trabalha para desenvolver as suas atividades.

É claro que uma grande indústria não pode obrigar um operário a comprar uma máquina que custa milhares de reais, mas se for preciso utilizar o smartphone para alguma operação, não haverá problema. Hoje em dia é praticamente impossível encontrar alguém que não utilize os equipamentos digitais em sua rotina.

4. Conservação do meio-ambiente

Tragédias ambientais, como o recente rompimento de uma barragem em Brumadinho  MG, têm feito com que as pessoas e empresas cada vez mais fiquem atentas para as questões que envolvem a conservação dos recursos naturais.

Dentro desse contexto, será cada vez mais comum que tenhamos que mudar velhos hábitos nas organizações. Além disso, os próprios clientes estão mais conscientes e cobrando posturas sustentáveis das empresas com as quais fazem negócios.

Ações simples do dia a dia, como cada colaborador levar a sua caneca para o trabalho, em vez de usar copos plásticos descartáveis, ajudam para que o meio ambiente seja conservado. Afinal, se cada um fizer a sua parte teremos um resultado muito mais positivo, concorda?

5. Trabalho remoto

O home office ou trabalho remoto é uma tendência que deve se intensificar em 2019. Isso se justifica pela recente reforma trabalhista, implementada em 2017 pelo ex-presidente Michel Temer. A legislação regulamenta esse tipo de trabalho.

Além disso, o trabalho remoto gera economia para as organizações, que não precisam gastar pagando vale-transporte para os funcionários, por exemplo.

As ferramentas tecnológicas, como os softwares em nuvem e as plataformas online, também contribuem para que as atividades da vida profissional feitas em casa sejam tão eficientes quanto o serviço feito na sede da empresa.

6. Uso de coworkings

Os coworkings são escritórios compartilhados em que profissionais de diversas áreas dividem o mesmo espaço para desenvolver as suas atividades de trabalho. Esse modelo está em constante crescimento e deve ser acentuado em 2019.

Nos escritórios compartilhados, os profissionais liberais podem receber clientes para reuniões, organizar eventos, desenvolver treinamentos ou simplesmente utilizarem as estações e demais recursos para efetuarem as suas atividades.

Profissionais que trabalham no esquema home office e que sentem falta de um ambiente em que possam interagir com outras pessoas também podem se beneficiar com os coworkings.

Esses espaços já estão presentes em diversas capitais e grandes centros urbanos brasileiros. Na rede do BeerOrCoffee, por exemplo, já são mais de 500 espaços de trabalho compartilhados.

Essas são algumas das principais tendências para a vida profissional em 2019. Você está preparado para elas? Lembre-se de que é importante estar sempre alinhado com o que está em alta no mercado e assim conquistar uma carreira de sucesso.

Se você se identifica com essas ideias, aproveite para garantir uma diária gratuita em um dos mais de 500 espaços de coworking da rede do BeerOrCoffee. É só clicar aqui!

 


Texto escrito por Lucas Flores, Relações Públicas e mestre em Letras, Cultura e Regionalidade. Desde 2013, trabalha com produção de conteúdo para web e há cerca de um ano trocou o interior do RS pela capital Porto Alegre.