VIDA DE COWORKING

Tudo sobre espaços de trabalho como nova forma de vida

sentio hero
Freelancer Produtividade

[Guest Post] Vida de freelancer: como manter a produtividade sem “bater o ponto”?

Guest Post

Quem trabalha como freelancer (ou qualquer outro tipo de trabalho autônomo), vive com um reloginho mental disparado. Não é à toa, quando o tempo realmente dedicado ao trabalho determina quanto você ganha no fim do mês, transformar as horas, os minutos e os segundos em momentos produtivos se torna quase uma missão de vida.

Mas como não cair na neura da superprodutividade e na pressão por ser um exemplo de eficiência? Neste post vou dar algumas dicas sobre o que aprendi na minha trajetória vivendo de freela.

Produtividade: o que vai funcionar para você?

Antes de baixar todos os aplicativos que encontrar ou de se tornar escravo de uma rotina extremamente regrada, pare! Você precisa descobrir o que realmente funciona para você quando o assunto é ser produtivo.

Pode ser acordar às 5 da manhã, pode ser trabalhar em um ambiente totalmente isolado do barulho, pode ser dormir um pouquinho depois do almoço. Como descobrir? Só testando! Para ajudar, alguns caminhos que podem guiá-lo nessa descoberta!

1. Mudar o estilo de vida

Defendo muito esse ponto: produtividade é muito mais estilo de vida do que ferramenta. Cuidar bem do corpo e da mente, gastar e recarregar energias com consciência, permitir-se errar, não se preocupar excessivamente com os outros e viver o presente são alguns dos comportamentos que pessoas muito eficientes cultivam em seu dia a dia.

O quando você está assumindo esses hábitos em sua própria rotina? Vale a pena repensar sobre o assunto.

2. Buscar apoio em ferramentas

É claro, ferramentas de gestão de tempo e produtividade não resolvem o problema da falta de produtividade. Mas podem ser excelentes aliadas para isso! Pesquise sobre técnicas para administrar melhor tarefas e rotina e encontre as ferramentas ideais para que elas sejam bem executadas. Pode ser um aplicativo, uma planilha no excel ou até a boa e velha agenda de papel.

Aliás, começar a se organizar de uma forma analógica pode ser o melhor caminho para encontrar soluções digitais que o apoiem neste ponto. Afinal, foi assim que você provavelmente aprendeu a dividir suas tarefas de acordo com o seu tempo.

3. Ajustar o relógio biológico

Ultimamente, uma nova tendência tem feito a cabeça das pessoas em relação à produtividade: o “Clube das 5 da manhã”. Empreendedores de sucesso, blogueiros famosos e pessoas como eu e você têm escolhido acordar nesse horário em nome de uma vida mais produtiva. Dá certo? Parece que sim! (Sinceramente não tive coragem – ou vontade – de testar).

O que sei de verdade é que seguir o que seu relógio biológico manda ajuda muito na produtividade. No meu caso, sei que preciso dormir 6 horas por noite e dormir/acordar cedo para fazer o dia render. Virar a noite trabalhando? Esquece, nada de bom sai dali.

E você, já descobriu a rotina que seu corpo pede?

4. Sair do home office

Trabalhar em casa é uma delícia. Ficar de pantufa, cozinhar o próprio almoço, fazer academia no meio da tarde… O problema é a tentação em procrastinar, sempre espiando por cima do seu ombro. E tem dias que não tem como fugir dela, não é mesmo?

Se você precisa mesmo trabalhar nessas horas, saia de casa! Trabalhar em um coworking é excelente para que você não esqueça totalmente como é uma rotina tradicional, com horário para tudo acontecer e sem as distrações de sua casa (difícil lidar com um sofá por perto naqueles dias chuvosos!).

5. Permitir-se um pouco de ócio criativo

Por fim, para ser produtivo, é preciso às vezes dar-se o direito de não ser. Ter dias de folga e respeitar aqueles momentos em que a sua cabeça  precisa de um tempo é essencial para render muito no trabalho no dia seguinte. Permita-se! Esta é uma das maiores vantagens de trabalhar como freelancer, não há porque você não aproveitá-la.

Se a culpa bate muito forte nessas horas, então utilize esses dias à serviço de seu ócio criativo: assista a filmes e séries que podem contribuir criativamente para seu trabalho, organize o escritório, coloque o sono em dia. O lado bom é que tudo isso é exercício de produtividade!

Qual seu segredo para ser produtivo?

Chegando ao final deste artigo, provavelmente você tenha se identificado com alguns hábitos que parecem possíveis de entrar para sua rotina de trabalho, certo? Que tal, agora, ir um pouco além? Pesquise, pense na sua rotina e liste comportamentos que podem ajudá-lo a trabalhar melhor e, principalmente, mais feliz!

Abraços,

Luciane Costa

Vivendo de Freela

Formada em jornalismo e apaixonada por conteúdo digital. Virou freelancer porque precisava de uma grana extra e acabou descobrindo que adora trabalhar assim. Foi quando fundou o Vivendo de Freela, canal de conteúdo voltado para quem acredita que pode ser dono da própria carreira.

Facebook Comments
trabalho remoto

11 dicas rápidas para o trabalho remoto

coworking

A decisão de trabalhar remotamente vem também com muitos desafios do dia-a-dia. Desde a adequação feita por parte das empresas à forma com que nós, profissionais, lidamos com esse novo universo.

Trabalhar remotamente, principalmente para os marinheiros de primeira viagem, não é uma tarefa tão fácil. Para muitos profissionais que estão acostumados com a agitação de um escritório, conversas produtivas ou reuniões presenciais, o trabalho remoto pode te fazer sentir isolado, dependendo do ambiente escolhido, ou extremamente desorientado, dependendo de como é a sua casa.

Mas pode ficar tranquilo que você não está sozinho nessa! Temos aqui 11 dicas rápidas que te ajudarão nessa a sua nova jornada de trabalho remoto!

1. Experimente metodologias de gerenciamento de tempo e tarefas

Mesmo que dentro de um escritório você seja uma pessoa extremamente organizada, trabalhando longe dele você pode perceber que o ambiente te forçava a ser assim. Em uma empresa você costumava a entrar às 8h, cumprir seu horário de almoço e saia às 18h. Mas agora você não tem essa cobrança, você está sozinho. Por isso estabeleça horários e aprenda a gerenciar o seu tempo e suas tarefas. Entender o contexto de onde você está e entender os horários das pessoas que vivem (ou trabalham) a sua volta, também é de extrema importância, já que isso pode acabar afetando o seu desempenho.

2. Você não está de férias

Isso vale para os profissionais que estão trabalhando remotamente pois precisam fazer algum tipo de viagem. Por mais divertido que seja você mudar seu ambiente de trabalho e estar em um lugar novo, não empolgue! Mantenha o foco e não ache que está de férias, pois você tem uma agenda a cumprir e tarefas a serem entregues. Mesmo você sendo um nômade digital, faça a sua rotina e não deixe de cumprir executar suas atividades. Não atrase entregas ou perca negócios por desorganização ou falta de gestão do seu próprio tempo.

3. Tente mergulhar nos acontecimentos locais

E por falar em viagem, se você estiver em alguma delas a trabalho, tente lembrar por que você está viajando e se envolva. Fale com as pessoas, siga as notícias locais, compreenda as questões do lugar. Isso vai te ajudar a se habituar! Mas se você perder o foco no meio disso tudo, releia a dica anterior: você não está de férias. Junto com a tentativa de se encaixar na cultura local, você precisa gerenciar bem o seu tempo.

4. Planeje seus locais de trabalho com antecedência

Se você é desse, que assim como eu, sempre procura por um café ou coworking para trabalhar: planeje-se! Tente pesquisar com antecedência, pelo menos no dia anterior, os locais disponíveis e como eles são. Busque por locais que funcionem para você, que possam ter um ambiente produtivo e conexão confiável com internet. Lembre-se que seu desempenho depende também do ambiente onde está inserido.

5. Construa relações

Mantenha relações, mesmo que simples, com seus colegas de trabalho. Até com aqueles que você não vai interagir com tanta frequência. Isso faz com que você se mantenha presente. Descubra o que eles fazem para a organização, peça conselhos sobre a transição para o trabalho remoto e conheça-os como pessoas e não apenas uma voz no outro lado de uma linha. Acha isso estranho? Seria o mesmo de caminhar pelo corredor do escritório e se apresentar às pessoas ao seu redor. Agora faz sentido, certo?

6. Não seja tão duro

Assim como algumas pessoas se desorganizam quando estão trabalhando remotamente, é comum profissionais se viciarem no trabalho também. É importante determinar um tempo diário de trabalho, mas ele deve ser justo para ambas as partes. Priorize atividades e concentre-se nela. Uma vez que a sua lista de tarefas estiver completa – lembre-se que ela não pode ser tão rigorosa – pare! Vá para a casa! Ou faça um curso no tempo livre! Aproveite a vida de qualquer outra forma! Mas não seja tão duro consigo mesmo.

7. Concentre-se no que agrega valor à sua carreira e sua vida

E se você se assustou com a dica anterior, é bom se preparar para essa! Sabemos que às vezes, as tarefas que agregam pouco valor (e não costumam ser nada urgentes) são inevitáveis. Neste caso, deixe-as! Mas calma, você não precisa esquecê-las, apenas repense. Você pode deixá-la para um outro momento ou até mesmo terceirizar esse serviço. Mas é importante que você concentre apenas no que te agrega valor!

8. Acostume-se a se comunicar

É comum que pessoas apresentem novas ideias de um projeto durante uma conversa informal ou no almoço. Quando você está trabalhando remoto, nem sempre você está presente nessas conversas. E pode ser que tais assuntos deixam de ser compartilhados com você, por puro esquecimento. As pessoas acabam se acostumando com a sua ausência. Para que isso não aconteça, comunique-se bem com a sua equipe. Esteja sempre presente e as faça lembrar que você está ali e faz parte da equipe. A comunicação contínua é essencial para o sucesso de equipes que trabalham remotamente.

9. Defina limites claros

Essa dica vale para os que escolheram trabalhar em home office. Quando você está ao redor da casa, pode haver uma suposição natural por parte da sua família ou amigos, que sua presença equivale a disponibilidade para conversas e outras socializações. E isso é péssimo para o seu desempenho. Deixe claro seu horário de trabalho e que nele você precisa se concentrar! Faça esse trabalho mental consigo mesmo também, isso ajuda a evitar deslizes!

10. Tenha um plano B

Se conversar com a família não adiantou e eles ainda continuam achando que você está disponível, tenha um plano B! Encontre um lugar onde você conseguirá trabalhar, sem ter que criar desavenças familiares. Tenha sempre em mente um café, biblioteca ou um coworking, onde você possa ir quando o ambiente doméstico estiver fora do seu controle!

11. Acredite no que você está se tornando

A transição leva ao senso de urgência, agitação e consistência. Trata-se de ser um aprendiz do seu novo ofício escolhido e se dedicar à melhoria. Talvez a parte mais difícil da transição é acreditar que você é essa pessoa que está se tornando e superando a síndrome do impostor. Supere!

E esperamos ter te ajudado a superar ou até mesmo a se adaptar melhor nessa nova fase. E se você ainda está pensando em se aventurar, vá fundo! E se precisar da gente, é só chamar, combinado?

Até a próxima! 😉

Bárbara Santos

Facebook Comments