equilíbrio entre vida pessoal e profissional

Como a pandemia afetou o equilíbrio entre vida pessoal e profissional

CarreiraPropósito

A necessidade de isolamento social por conta da pandemia do novo coronavírus pegou todo mundo de surpresa. Rapidamente, funcionários e empresa tiveram que se adaptar ao trabalho remoto para que as atividades não parassem. Meses depois, como será que o home office afetou o equilíbrio entre vida pessoal e profissional dos trabalhadores?

Trabalhar de casa foi muito romantizado no início como algo que só traz benefícios — não ter que enfrentar o deslocamento até a sede e fazer horários mais flexíveis, por exemplo. Mas com o passar do tempo, percebeu-se que não é bem assim que acontece.

Neste post, trazemos alguns pontos importantes sobre o assunto e que quem trabalha em home office deve estar por dentro. Além disso, damos algumas dicas de como equilibrar a vida pessoal e profissional neste momento. Para conferir, basta continuar a leitura. Vamos lá?

O que a ciência diz sobre o equilíbrio entre vida pessoal e profissional?

Se antes já era difícil equilibrar vida pessoal e profissional para os mais workaholics, trabalhando em home office isso fica ainda mais complicado. Mesmo os que conseguiam não levar trabalho para casa, agora sofrem com o problema.

Uma matéria publicada pelo site The Conversation aponta que as pessoas, quando em casa, trabalham em média 2 horas a mais por dia do que no escritório. Antes da pandemia, as empresas que tinham resistência ao trabalho remoto suspeitavam que a produtividade cairia em relação à modalidade presencial. Entretanto, o que aconteceu foi o oposto. 

Segundo a pesquisa do site australiano, o sentimento de sorte por ainda ter um emprego em meio ao colapso causado pela pandemia e o medo de ser ainda mais vigiado pelos empregadores são alguns dos motivos que fazem os colaboradores trabalharem as horas extras.

Bossware

Você sabia que existe um software um tanto quanto polêmico que algumas empresas usam para monitorar os funcionários? O “bossware”, como é chamado, tem o objetivo de aumentar  a produtividade. Com ele, o chefe pode medir a atividade de e-mail e de documentos compartilhados, por exemplo. 

O uso desse programa incentiva a cultura do trabalho extra. Na mesma pesquisa feita com 500 colaboradores do Reino Unido, os entrevistados revelaram uma preocupação com a privacidade durante as chamadas de vídeo e a interrupção constante de seu tempo pessoal.

Pausas

Por falar em tempo pessoal, as pausas no trabalho estão desaparecendo. Se antes, no ambiente de trabalho dentro da empresa, os colegas tiravam alguns minutos para tomar um café ou fazer o horário de almoço, hoje as empresas têm expectativa de funcionários disponíveis a todo momento. 

Se esse hábito não for controlado, logo se tornará norma após a volta ao expediente dentro da empresa, o que é prejudicial ao trabalhador. Essas pausas são importantes para o bem-estar do funcionário e, até mesmo, para a sua produtividade.

Problemas emocionais

Todas essas mudanças na rotina de trabalho, em que vida pessoal e profissional se misturam, podem gerar um estresse crônico e, consequentemente, a Síndrome do Esgotamento Profissional, também conhecida como Síndrome de Burnout. 

Esses problemas emocionais podem levar à irritabilidade, queda na produtividade e dificuldade para dormir. Se medidas não forem tomadas, é cada vez mais difícil sustentar uma boa saúde mental e física.

equilíbrio entre vida pessoal e profissional

Afinal, como manter o equilíbrio entre vida pessoal e profissional?

Antes de mais nada, é interessante contextualizarmos o que é esse tão falado equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. Podemos dizer que é o controle de como lidamos com as diversas demandas que temos em todos os aspectos da vida, mantendo o bem-estar e evitando doenças. Como isso é possível? Veja as nossas dicas!

Mantenha uma rotina definida

Sabemos que nem sempre é fácil manter uma rotina de trabalho em home office, ainda mais se os horários são flexíveis. Entretanto, é importante estabelecer, dentro do possível, o turno com hora para iniciar e terminar e pausas para se alimentar e “esticar as pernas”.

Além disso, é interessante trocar o pijama e não fazer as refeições na mesa de trabalho. Assim, você entra no modo “expediente”, o que ajuda a separar o pessoal do profissional.

Tenha um espaço para o trabalho

No início da pandemia, muitas pessoas acharam que o trabalho remoto era algo passageiro e que logo voltariam à vida normal. No entanto, meses se passaram e o home office continuou, seja por necessidade de isolamento social, seja pelas vantagens que as empresas enxergaram nessa modalidade.

Se você ainda não tem um espaço adequado destinado ao trabalho, saiba que isso é importante para a sua produtividade e bem-estar. Portanto, separe um ambiente e siga as normas de ergonomia para a disposição dos equipamentos e móveis.

Desconecte do trabalho após o turno

Com um horário bem definido para começar e encerrar o expediente, tente se desconectar do trabalho, sempre que possível. Se o seu emprego não exige disponibilidade fora do turno, tente não estender as tarefas.

Aproveite para tirar um tempo off-line, fazendo atividades que não envolvam telas. Assim, você consegue descansar os olhos e a mente, além de ter maior oportunidade de convívio com os outros moradores da casa.

Aposte no trabalho híbrido

Você conhece o trabalho híbrido? Essa modalidade ganha cada vez mais destaque, principalmente, como tendência para o cenário pós-pandêmico — o novo normal. Nele, as empresas dão mais autonomia para seus colaboradores escolherem onde, como e quando fazerem as suas tarefas.

Dessa forma, o funcionário pode optar por trabalhar em home office, dentro da empresa ou em coworkings (escritórios flexíveis). Os benefícios são inúmeros, mas podemos destacar essa flexibilidade como algo interessante para o bem-estar. 

Está cansado de trabalhar em casa? Basta ir até um bom coworking para fazer as atividades e interagir com pessoas. Os horários da semana estão muito apertados? Então fazer home office pode ser a melhor opção.

Como você pode conferir, o trabalho em home office tem algumas variáveis que, até então, não eram enxergadas como problemas. A falta de limites entre a vida pessoal e profissional é uma delas. Por esse motivo é importante manter alguns hábitos para conseguir restabelecer o equilíbrio.

Há quem diga que trabalho remoto e home office significam o mesmo. Mas a verdade é que há diferenças entre eles. Aproveite que está por aqui e saiba mais.

  • Share on:

Futuro do trabalho: por que criar o storytelling da marca é essencial

EmpresasPropósito

Todo mundo tem uma história, inclusive as marcas. Pessoas fazem parte da trajetória das empresas, do mesmo modo que as companhias transformam a vida dos indivíduos — seja para melhor, seja para pior. O futuro do trabalho chega mostrando essa conexão, entre empresas e pessoas, por meio do storytelling da marca.

A lógica é bem simples: você consegue contar a história da sua vida sem mencionar as empresas para as quais trabalhou? Consegue traçar o seu caminho profissional sem envolvê-las? E quanto às marcas que você consumiu, quantas delas fazem parte da sua história?

O que acontece é que as marcas que não vieram a passeio e sim para fazerem parte do futuro do trabalho já se deram conta da importância de contar a própria história, de seus colaboradores e de seus consumidores e incorporaram o storytelling a sua estratégia. 

Quer entender por que o storytelling funciona? Continue a leitura e descubra.

1. Compartilha um propósito com o mundo

Já não é mais novidade para ninguém que as empresas que buscam um propósito acima do lucro são as mais bem-sucedidas. Porém, é comum tentando estabelecer isso de modo forçado, irreal, somente para acompanhar às exigências do mercado.

Um propósito é e soa verdadeiro para as pessoas quando vem atrelado a uma história que o justifique, seja dos fundadores, seja dos colaboradores da empresa. Ele sempre envolve pessoas e as experiências delas que identificaram uma necessidade de transformação. Essas vivências precisam ser contadas para que o propósito seja validado e compartilhado com o mundo.

storytelling da marca

2. Narra a transformação para a qual está contribuindo

Quando ouvimos as histórias de como nasceram e cresceram empresas gigantes, como o Google e o Facebook, entendemos muito mais claramente o propósito a que servem e as transformações que realizaram e continuam realizando no mundo.

Aspirações como a de “conectar pessoas” ou “reunir toda a informação do mundo” não parecem tão reais quanto as histórias que estão tornando isso cada vez mais possível e, consequentemente, transformando a vida de milhões de pessoas.

3. Envolve talentos na trajetória da marca

Futuro do trabalho prevê cada vez mais colaboradores comprometidos com o propósito da marca. Muito mais do que a remuneração ou benefícios oferecidos pela empresa, os objetivos em comum são os verdadeiros responsáveis pelo engajamento e retenção de talentos.

Incluir a história dos colaboradores na narrativa de crescimento da empresa faz com que se sintam mais parte dela ainda, responsáveis pelas conquistas e desafios superados pela companhia. Essa sensação de pertencimento só contribui para que se envolvam e se engajem cada vez mais no desenvolvimento corporativo.

Basta pensar em qual colaborador não gostaria, por exemplo, de ver a sua trajetória de contribuição para o crescimento da empresa publicada no site corporativo. 

4. Leva a verdade sobre a empresa aos consumidores

Até bem pouco tempo atrás, e ainda existem alguns casos hoje em dia, ler a declaração de missão, visão e valores de uma empresa, muitas vezes, soava como um clichê. Tinha-se até mesmo a impressão de que uma copiava a outra. 

E quando se conhecia o dia a dia da organização se tornava possível perceber que nada daquilo era aplicado na prática. Porém, muitas vezes, se tornavam nítidos outros propósitos tão ou mais válidos do que os declarados, ou seja, aqueles que estavam embutidos na história da empresa.

Por isso, o storytelling da marca, a narração da trajetória da organização, faz com que a sua essência seja encontrada e que os seus reais propósitos e valores sejam levados aos consumidores. Um exemplo disso, diz respeito às políticas da empresa em relação a sustentabilidade ambiental, que tem sido um fator determinante para público decidir se consumirá ou não uma marca.

De nada adianta ela afirmar categoricamente que é uma empresa sustentável, se na sua história há registros de ações não corrigidas de consumo indevido dos recursos do planeta. Por outro lado, se a sua trajetória conta a história de melhorias de processos para que esses recursos naturais sejam preservados, por exemplo, por meio do uso de escritórios compartilhados, a verdade sobre o seu posicionamento pró sustentabilidade é, de fato, constatado.

5. Humaniza a imagem da marca

Uma marca é construída por pessoas, suas ideias e suas ações. O storytelling da marca é capaz de mostrar a participação das pessoas nessa construção, e assim, humanizar a imagem da marca, trazendo-a para mais perto do consumidor e facilitando a criação de um relacionamento. O cliente para a ver a relação com a empresa como sendo de pessoa para pessoa.

storytelling da marca

6. Cria laços com as pessoas

A consequência de tudo isso está futuro do trabalho, que traz consigo diversas oportunidades de criação de novas histórias capazes de fortalecer a imagem de uma marca e criar laços entre elas e as pessoas. 

Um exemplo disso está na possibilidade de socializar com os colegas de coworking que fazem parte de outras instituições e, por meio desse contato, criar novos produtos e serviços inovadores, graças a formação de parcerias que poderiam jamais acontecer, se cada colaborador estivesse trabalhando dentro das instalações da sua própria empresa.

Por isso, um grande oportunidade de mudar a história da sua empresa é entendendo o que é coworking  e assim começar, desde já, a ingressar no futuro do trabalho e ter uma trajetória de sucessos para contar.

E se você acredita que esse conceito de trabalho remoto só é aplicável a freelancers, é bom lembrar que expor os seus colaboradores a eventos em coworking e a convivência com outros profissionais com potencial de autogestão é uma ótima maneira de aperfeiçoar as skills da sua equipe.

E se você curtiu saber um pouco mais sobre a relevância do storytelling para no desenvolvimento de uma marca, saiba um pouco mais como isso afeta também futuro do trabalho em 2019!

Silvia Seco é publicitária, especializada em gestão de marketing digital e produção de conteúdo. Uma verdadeira apaixonada por criação, design, inovação, tecnologia e histórias bem contadas.