equilíbrio entre vida pessoal e profissional

Como a pandemia afetou o equilíbrio entre vida pessoal e profissional

CarreiraPropósito

A necessidade de isolamento social por conta da pandemia do novo coronavírus pegou todo mundo de surpresa. Rapidamente, funcionários e empresa tiveram que se adaptar ao trabalho remoto para que as atividades não parassem. Meses depois, como será que o home office afetou o equilíbrio entre vida pessoal e profissional dos trabalhadores?

Trabalhar de casa foi muito romantizado no início como algo que só traz benefícios — não ter que enfrentar o deslocamento até a sede e fazer horários mais flexíveis, por exemplo. Mas com o passar do tempo, percebeu-se que não é bem assim que acontece.

Neste post, trazemos alguns pontos importantes sobre o assunto e que quem trabalha em home office deve estar por dentro. Além disso, damos algumas dicas de como equilibrar a vida pessoal e profissional neste momento. Para conferir, basta continuar a leitura. Vamos lá?

O que a ciência diz sobre o equilíbrio entre vida pessoal e profissional?

Se antes já era difícil equilibrar vida pessoal e profissional para os mais workaholics, trabalhando em home office isso fica ainda mais complicado. Mesmo os que conseguiam não levar trabalho para casa, agora sofrem com o problema.

Uma matéria publicada pelo site The Conversation aponta que as pessoas, quando em casa, trabalham em média 2 horas a mais por dia do que no escritório. Antes da pandemia, as empresas que tinham resistência ao trabalho remoto suspeitavam que a produtividade cairia em relação à modalidade presencial. Entretanto, o que aconteceu foi o oposto. 

Segundo a pesquisa do site australiano, o sentimento de sorte por ainda ter um emprego em meio ao colapso causado pela pandemia e o medo de ser ainda mais vigiado pelos empregadores são alguns dos motivos que fazem os colaboradores trabalharem as horas extras.

Bossware

Você sabia que existe um software um tanto quanto polêmico que algumas empresas usam para monitorar os funcionários? O “bossware”, como é chamado, tem o objetivo de aumentar  a produtividade. Com ele, o chefe pode medir a atividade de e-mail e de documentos compartilhados, por exemplo. 

O uso desse programa incentiva a cultura do trabalho extra. Na mesma pesquisa feita com 500 colaboradores do Reino Unido, os entrevistados revelaram uma preocupação com a privacidade durante as chamadas de vídeo e a interrupção constante de seu tempo pessoal.

Pausas

Por falar em tempo pessoal, as pausas no trabalho estão desaparecendo. Se antes, no ambiente de trabalho dentro da empresa, os colegas tiravam alguns minutos para tomar um café ou fazer o horário de almoço, hoje as empresas têm expectativa de funcionários disponíveis a todo momento. 

Se esse hábito não for controlado, logo se tornará norma após a volta ao expediente dentro da empresa, o que é prejudicial ao trabalhador. Essas pausas são importantes para o bem-estar do funcionário e, até mesmo, para a sua produtividade.

Problemas emocionais

Todas essas mudanças na rotina de trabalho, em que vida pessoal e profissional se misturam, podem gerar um estresse crônico e, consequentemente, a Síndrome do Esgotamento Profissional, também conhecida como Síndrome de Burnout. 

Esses problemas emocionais podem levar à irritabilidade, queda na produtividade e dificuldade para dormir. Se medidas não forem tomadas, é cada vez mais difícil sustentar uma boa saúde mental e física.

equilíbrio entre vida pessoal e profissional

Afinal, como manter o equilíbrio entre vida pessoal e profissional?

Antes de mais nada, é interessante contextualizarmos o que é esse tão falado equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. Podemos dizer que é o controle de como lidamos com as diversas demandas que temos em todos os aspectos da vida, mantendo o bem-estar e evitando doenças. Como isso é possível? Veja as nossas dicas!

Mantenha uma rotina definida

Sabemos que nem sempre é fácil manter uma rotina de trabalho em home office, ainda mais se os horários são flexíveis. Entretanto, é importante estabelecer, dentro do possível, o turno com hora para iniciar e terminar e pausas para se alimentar e “esticar as pernas”.

Além disso, é interessante trocar o pijama e não fazer as refeições na mesa de trabalho. Assim, você entra no modo “expediente”, o que ajuda a separar o pessoal do profissional.

Tenha um espaço para o trabalho

No início da pandemia, muitas pessoas acharam que o trabalho remoto era algo passageiro e que logo voltariam à vida normal. No entanto, meses se passaram e o home office continuou, seja por necessidade de isolamento social, seja pelas vantagens que as empresas enxergaram nessa modalidade.

Se você ainda não tem um espaço adequado destinado ao trabalho, saiba que isso é importante para a sua produtividade e bem-estar. Portanto, separe um ambiente e siga as normas de ergonomia para a disposição dos equipamentos e móveis.

Desconecte do trabalho após o turno

Com um horário bem definido para começar e encerrar o expediente, tente se desconectar do trabalho, sempre que possível. Se o seu emprego não exige disponibilidade fora do turno, tente não estender as tarefas.

Aproveite para tirar um tempo off-line, fazendo atividades que não envolvam telas. Assim, você consegue descansar os olhos e a mente, além de ter maior oportunidade de convívio com os outros moradores da casa.

Aposte no trabalho híbrido

Você conhece o trabalho híbrido? Essa modalidade ganha cada vez mais destaque, principalmente, como tendência para o cenário pós-pandêmico — o novo normal. Nele, as empresas dão mais autonomia para seus colaboradores escolherem onde, como e quando fazerem as suas tarefas.

Dessa forma, o funcionário pode optar por trabalhar em home office, dentro da empresa ou em coworkings (escritórios flexíveis). Os benefícios são inúmeros, mas podemos destacar essa flexibilidade como algo interessante para o bem-estar. 

Está cansado de trabalhar em casa? Basta ir até um bom coworking para fazer as atividades e interagir com pessoas. Os horários da semana estão muito apertados? Então fazer home office pode ser a melhor opção.

Como você pode conferir, o trabalho em home office tem algumas variáveis que, até então, não eram enxergadas como problemas. A falta de limites entre a vida pessoal e profissional é uma delas. Por esse motivo é importante manter alguns hábitos para conseguir restabelecer o equilíbrio.

Há quem diga que trabalho remoto e home office significam o mesmo. Mas a verdade é que há diferenças entre eles. Aproveite que está por aqui e saiba mais.

  • Share on:
profissões que estarão em alta em 2021

LinkedIn aponta as 15 profissões que estarão em alta em 2021

Carreira

Pesquisa do LinkedIn cita as 15 profissões que estarão em alta em 2021. A maioria se relaciona com trabalho remoto e Anywhere Office

Se você também é uma pessoa que pensa a respeito do futuro do trabalho, é provável que se pergunte sobre as profissões que estarão em alta em 2021. Afinal, muito se fala sobre o home office e o trabalho remoto, mas falta saber sobre os cargos a serem mais procurados atualmente.

Mais do que um momento de revisão de estratégias, é necessário avaliar quais serão as demandas do mercado. Isso porque a tendência é aumentar a procura por atividades que favoreçam a adoção do trabalho flexível.

Nesse cenário, o LinkedIn fez um levantamento para identificar as 15 profissões que estarão em alta em 2021. Quer saber quais são elas? Neste post apresentamos todas e suas características. Confira!

1. Profissionais de e-commerce

Entre as profissões que estarão em alta em 2021 está a de profissionais de e-commerce. O comércio eletrônico deve crescer 26% em 2021. Com isso, o faturamento do setor deve alcançar o patamar de R$ 110 bilhões

Segundo a projeção da Ebit | Nielsen, o motivo é o fortalecimento dos marketplaces e das lojas virtuais. Em tempos de aumento da procura pelas vendas online, os profissionais de e-commerce estão em evidência.

Tanto é que a pesquisa do LinkedIn apontou um crescimento de 73% nas contratações para esse cargo ao longo dos anos. Agora, a estimativa é que a demanda continue em alta, com mais de 400 mil vagas abertas.

2. Especialistas em empréstimos e hipotecas

No Brasil, as hipotecas são mais conhecidas como empréstimos com garantia de imóvel. Tanto nessa modalidade quanto em outras, o crédito está em evidência por vários motivos, como:

  • Necessidade de empresas e pessoas físicas;
  • Juros mais baixos devido ao patamar mínimo da Selic;
  • Desemprego elevado;
  • Desejo de comprar outro imóvel para ter mais qualidade de vida.

Um dado que confirma essa afirmação é o crescimento de 5,9% das concessões de crédito no país. No caso das fintechs e dos bancos digitais, a alta foi maior — as operações triplicaram, atingindo R$ 10 bilhões.

A combinação desses fatores faz os especialistas em empréstimos e hipotecas serem procurados e estarem na lista das profissões em alta em 2021. De acordo com o LinkedIn, a alta nas contratações foi de 59% em comparação com 2019.

3. Equipe de assistência à saúde

Seria impossível deixar de lado os profissionais de saúde em um período marcado por uma crise sanitária. A pandemia do novo coronavírus mostrou a importância de médicos, enfermeiros e outros especialistas.

Houve um crescimento da demanda pelos profissionais que atuam na linha de frente e aqueles que auxiliam os pacientes a passarem pelo sistema de saúde. Além de fazerem a orientação, eles também mantêm os registros organizados e facilitam todo o procedimento médico.

Devido a essa flexibilidade, esses profissionais vêm sendo bastante procurados. Desde 2019, a contratação para essas vagas aumentou 34%.

4. Profissionais de desenvolvimento de negócios e vendas

O ambiente corporativo precisou mudar todos os seus procedimentos para funcionar durante a pandemia do novo coronavírus. Ainda assim, houve impactos significativos à economia devido à necessidade de se adaptar ao futuro do trabalho, que agora é remoto e flexível.

Com isso, entre as profissões que estarão em alta em 2021 entram a de desenvolvimento de negócios e vendas. O motivo é que ambas ajudam a passar pelos períodos de crise e encontrar saídas para continuar crescendo.

Por isso, esses profissionais tiveram que revisitar seus conceitos. Em contrapartida, a contratação foi 45% maior entre 2019 e 2020.

5. Especialistas em diversidade

Os profissionais que trabalham com a diversidade já vinham crescendo, mas tiveram um boom em 2020. Movimentos sociais — como o Vidas Negras Importam — fizeram as companhias se posicionarem politicamente. Inclusive, essa vem sendo uma das exigências do público que atendem.

Nesse cenário, os especialistas em diversidade fazem uma análise do contexto empresarial e apontam oportunidades de melhoria, especialmente em posições de liderança. A pluralidade de vozes também ajuda a companhia a diversificar seus produtos e serviços, e a ter novas ideias. Por isso, houve uma elevação de 90% na contratação desses cargos.

6. Profissionais de marketing digital

O marketing digital abriga uma série de profissionais que atuam em diferentes áreas. Sem exceção, todos eles ajudam a posicionar melhor a empresa perante o mercado, aumentar sua reputação, atrair clientes e fazer seu negócio crescer.

Com essas características, fica claro por que esses profissionais estão em evidência. No entanto, a pandemia acentuou a necessidade desses especialistas. Tudo porque são capazes de ajudar a empresa a ultrapassar suas dificuldades.

Isso acontece pela atração de clientes no mundo digital, que já está saturado. Alcançar esse feito pode ser mais difícil do que parece. Como resultado, a contratação de especialistas em marketing digital cresceu 33%.

7. Enfermeiros

Os profissionais de enfermagem são fundamentais no atendimento aos pacientes — e isso ficou mais do que claro com a pandemia. Apesar de sua atuação ter sido muito falada em relação aos hospitais, eles também trabalham em outros lugares, como escolas, lugares de assistência de longa permanência, centros de cuidados urgentes e especiais, e mais.

Mais do que a crise sanitária, os profissionais de enfermagem estão em alta devido ao envelhecimento da população. Portanto, a tendência é continuar em crescimento. Tanto é que, em 2020, o crescimento nas contratações atingiu 30%.

8. Profissionais da educação

Outro setor altamente impactado pela pandemia foi a educação. Professores, técnicos, pesquisadores e mais tiveram que repensar seus hábitos e mudar a forma de atingir os estudantes.

Além da adoção de tecnologias para o ensino a distância, também aumentou a demanda por tutores e profissionais de apoio. A alta chegou a 20% entre 2019 e 2020.

9. Criadores de conteúdo digital

Fazendo parte da estratégia de marketing digital, os produtores de conteúdo ajudam a entreter e criar uma conexão com os potenciais clientes. Em período de pandemia, o foco das pessoas nas redes sociais fez com que a demanda por esses profissionais crescesse.

Aqui, entram diferentes formatos de conteúdo: áudio, vídeo, texto e muito mais. Por isso, essa é uma das profissões que estarão em alta em 2021, com procura 49% maior.

10. Coaches profissionais e pessoais

Muita gente perdeu o emprego em 2020 e precisou se reinventar. A necessidade de mudança trouxe demanda para os coaches profissionais e pessoais, que ajudam as pessoas a encontrarem o melhor caminho.

A procura foi tão grande que aumentou as contratações em 51% desde 2019. E ainda deve continuar. Afinal, será necessário realocar uma boa massa de profissionais no mercado de trabalho.

11. Engenheiros de TI especializados

A tecnologia necessária para fazer o trabalho remoto funcionar tornou os engenheiros de TI uma das profissões que estarão em alta em 2021. Entre os cargos principais estão: 

  • Web developer;
  • Engenheiro full stack;
  • Desenvolvedor front end;
  • Desenvolvedor de jogos.

A ideia desses profissionais vai além de garantir o bom funcionamento dos ambientes corporativos. Eles também garantem o entretenimento das pessoas e ajudam a facilitar a comunicação entre elas. Por isso, o crescimento da busca por engenheiros de TI especializados chegou a 25% entre 2019 e 2020.

12. Especialistas em saúde mental

Mais do que a saúde física, a mental também é necessária, especialmente em tempos de pandemia. Como consequência, a busca por conselheiros, terapeutas e outros profissionais que cuidam dessa área aumentou 24%. Eles ajudam a diminuir a sensação de isolamento social e contribuem com a segurança de todos.

13. Profissionais de experiência do usuário

A usabilidade é necessária para garantir o bom funcionamento e uso das ferramentas tecnológicas. Com o aumento da adoção de programas e aplicativos, os profissionais de user experience passaram a ser mais procurados.

A alta chegou a 20% entre 2019 e 2020. Entre os principais cargos incluídos nessa denominação estão:

  • Designer de experiência do usuário;
  • Consultor de design de produto;
  • Designer de interface do usuário;
  • Pesquisador de experiência do usuário.

14. Especialistas de ciência de dados

O data science já estava em voga, isso é fato. Capturar, filtrar, armazenar e interpretar os dados para se transformarem em informações e insights são atividades imprescindíveis para as empresas que querem se destacar perante a concorrência.

Esse é um dos motivos pelos quais estamos na Era da Informação. A questão é que a pandemia acelerou ainda mais esse processo. Com isso, o total de contratação desses profissionais, segundo o LinkedIn, cresceu 46%.

15. Profissionais de inteligência artificial (AI)

Esse é outro exemplo de área que já estava entre as profissões em alta. Em 2021, deve crescer ainda mais devido às demandas da pandemia do novo coronavírus. Isso porque as empresas compreenderam que esses especialistas ajudam o negócio a crescer.

Ainda há companhias que veem a AI como uma possibilidade de se preparar para futuras disrupções. Por esse motivo, os profissionais de inteligência artificial tiveram um aumento de contratação de 32%.

Com essa lista de 15 profissões que estarão em alta em 2021, você já consegue visualizar o futuro do trabalho. A maioria tem um fator em comum: a necessidade da tecnologia para garantir uma atuação remota e flexível. Com isso, fica claro que o escritório tradicional será cada vez mais substituído por outros modelos de estratégia.

Quer saber mais sobre como deve ficar esse novo cenário? Entenda o que é anywhere office e por que você deve adotar o modelo.


Texto escrito por Fabíola Thibes, jornalista e redatora web.

  • Share on: