futuro do trabalho no Brasil

Futuro do trabalho no Brasil: veja quem são as principais referências sobre carreira e

CarreiraFuturo do Trabalho

Acompanhar as principais referências que falam sobre o futuro do trabalho no Brasil pode fazer com que você tenha bons insights para o seu negócio. Conheça alguns nomes incríveis!

Você já parou para pensar sobre o futuro do trabalho no Brasil? Fazer essa reflexão é importante para empresários, para gestores de RH e para facilities, entre outras lideranças das organizações.

O mundo está em constante mudança e a forma como as carreiras dos profissionais se desenvolvem e a infraestrutura dos negócios precisam acompanhar essa evolução. Caso contrário, dificilmente haverá êxito nos negócios.

Uma boa maneira de conhecer mais sobre a carreira e sobre o futuro do trabalho no Brasil é acompanhando as principais referências do nosso país nesses campos. Elaboramos uma lista com nomes de profissionais e de especialistas incríveis. Para conhecê-los, prossiga com a leitura!

Por que é importante conhecer as principais referências sobre carreira e futuro do trabalho no Brasil?

O futuro do trabalho está relacionado às mudanças culturais que acontecem na sociedade de tempos em tempos.

Enquanto as gerações que nasceram nas décadas de 1970 e 1980 aprenderam a trabalhar de forma analógica, por exemplo, os profissionais que nasceram nos anos 1990 e 2000 já foram inseridos no mercado de trabalho em um mundo digital.

Ou seja, lá nos anos 1990, as empresas que começaram a buscar tendências e observar como o mercado se movia em relação à digitalização começaram a ganhar mais espaço e tornaram-se grandes marcas em seus setores de atuação.

O mesmo deve ocorrer na década atual! Quem entender sobre o futuro do trabalho e saber se adaptar às novas exigências do mercado estará um passo à frente da concorrência.

É por esse motivo que conhecer as principais referências sobre a carreira e sobre o futuro do trabalho no Brasil é tão importante para as empresas de todos os segmentos.

Conheça 6 profissionais que são referências para o futuro do trabalho no Brasil

A fim de que você se mantenha sempre atualizado em relação às novidades sobre o futuro do trabalho no Brasil, listamos alguns nomes que são referência nesse assunto em nosso país.

Você pode seguir esses profissionais nas redes sociais, como o Instagram e o LinkedIn, para acompanhar as dicas que eles compartilham sobre inovações no mercado de trabalho. Confira a nossa lista!

1. Felipe Collins

O jornalista Felipe Collins é pós-graduado em Marketing e se considera um entusiasta do aprendizado contínuo e do futuro do trabalho.

Ele está à frente da Future Dojo, escola digital que ensina práticas e habilidades necessárias para destravar o crescimento em negócios e em carreiras.

Felipe também atua como professor em cursos de pós-graduação da ESPM e sempre compartilha conteúdos interessantes sobre o futuro do trabalho no Brasil em suas redes.

2. Monique Evelle

Monique Evelle é uma das fundadoras da Inventivos, plataforma de aprendizagem para o mundo do trabalho.

Formada em Humanidades com ênfase em Política e Gestão Cultural, a empreendedora foi considerada um dos talentos mais promissores do Brasil com menos de 30 anos.

Empreendedorismo feminino, criatividade, inovação, diversidade no trabalho, dentre outros temas são discutidos por Monique em suas redes sociais.

3. Luiz Gaziri

O professor, palestrante e consultor Luiz Gaziri impulsiona o desenvolvimento de pessoas e de empresas a partir de conteúdos 100% baseados em comprovações de pesquisas.

De acordo com Gaziri, as abordagens de seus conteúdos são 100% focadas na ciência e 0% nos achismos. Por isso, quem gosta de acompanhar dados e informações científicas deve segui-lo.

4. Tatiana Pimenta

Engenheira civil de formação, Tatiana Pimenta ganhou notoriedade no mundo dos negócios ao criar a Vittude, plataforma que conecta psicólogos e pacientes.

Dentre os principais objetivos da Vittude, está o fomento à saúde mental e ao bem-estar da população, fazendo com que a terapia se torne mais acessível e democrática.

Atualmente, Tatiana também é palestrante e apresentadora de um podcast. Ela produz conteúdos em suas redes sobre temas como saúde mental, bem-estar, empreendedorismo e liderança.

5. Fred Amaral

Fred Amaral é o cofundador da Dock, uma das empresas líderes em tecnologia para meios de pagamento e em banking as a service na América Latina.

A Dock foi uma das primeiras empresas brasileiras a implementar o anywhere office, ou seja, o trabalho realizado em qualquer local. Apesar dos desafios, a empresa obteve sucesso ao fazer o trabalho totalmente a distância, graças a parcerias estratégicas e a serviços como o OfficePass.

Em seus perfis nas redes sociais, Fred traz dicas e orientações sobre as estratégias de trabalho remoto de longo prazo.

6. Roberta Vasconcellos

Considerada um dos principais nomes do ecossistema de startups do país, Roberta Vasconcellos é uma das fundadoras do BeerOrCoffee, rede de coworkings que conta com centenas de escritórios compartilhados em 170 cidades do Brasil e de Portugal.

Ao seguir Roberta, você entenderá, por exemplo, as diferenças entre home office e trabalho remoto. Ambos formatos fazem parte da cultura do anywhere office e representam o futuro do trabalho.

O trabalho remoto vai além do home office, podendo ser executado não apenas na casa do colaborador, mas também em outros espaços, como os coworkings.

A trajetória de Roberta Vasconcellos como empreendedora é muito interessante e inspiradora. Ela sempre teve uma veia empreendedora e, aos 12 anos, já vendia trufas para os colegas de escola. Com o passar do tempo, esse dom só foi se aperfeiçoando.

Por isso, a Roberta figura na lista de referências que você deve seguir para aprender mais sobre os próximos passos do mundo do trabalho. 

Gostou da nossa lista com as principais referências sobre a carreira e sobre o futuro do trabalho? É muita gente boa para você seguir e se inspirar, não é mesmo? Sendo assim, não perca mais tempo e busque pelos conteúdos de todos eles!

Aproveite e também baixe o nosso “Guia definitivo do futuro do trabalho remoto”. O e-book traz os principais modelos de trabalho para o pós-pandemia e as mudanças de atitudes sobre o papel do escritório que devem ser adotadas. É uma leitura mais do que recomendada!


Texto de Lucas FloresRelações Públicas e Mestre em Letras, Cultura e Regionalidade.

  • Share on:

O que a geração Z busca nos escritórios?

Sem categoria

A geração Z já está no mercado de trabalho e é importante que os gestores de coworkings criem espaços para receber esse público. Saiba mais!

Segundo as definições sociológicas, fazem parte da geração Z os jovens que nasceram a partir do ano de 1995. Essas pessoas têm características bem próprias e que devem ser conhecidas pelas empresas.

Como boa parte dos jovens pertencentes à geração Z já está concluindo a faculdade e entrando no mercado de trabalho, convém que os gestores de coworking entendam as necessidades desse grupo de profissionais.

A ideia é que sejam realizadas adaptações no design dos escritórios, para que sejam mais atrativos para esse público. Para saber mais, continue lendo! 

Afinal, o que a geração Z busca nos escritórios?

Os jovens da geração Z nasceram e cresceram em um universo em que as tecnologias digitais já eram uma realidade em nossas vidas. Eles são o que alguns autores chamam de nativos digitais.

Boa parte desses jovens não sabe o que é ter uma rotina analógica, sem o uso constante da internet em computadores e dispositivos móveis, por exemplo. Isso trouxe um grande impacto sobre a forma como essas pessoas agem e pensam.

De maneira geral, para a geração Z, é importante ter mais liberdade nas rotinas, preservar o meio ambiente, valorizar as diferenças e promover a economia colaborativa.

Considerar esses pontos é importante para quando se está planejando o design e a estrutura de um coworking. Por isso, gestores desse tipo de estabelecimento devem buscar mais informações sobre o tema.

5 dicas para adaptar o seu coworking para a geração Z

Se você está pensando em adaptar o seu coworking para a geração Z, é interessante ficar atento a alguns detalhes. Veja, a seguir, algumas dicas importantes para adequar o seu espaço!

1. Faça com que os seus espaços respeitem a diversidade

A sociedade avançou muito nos últimos anos, de modo que a diversidade, embora ainda necessite de mais respeito, ganhou espaço no meio empresarial.

As empresas modernas não fazem distinção por gênero, raça, crenças religiosas e orientações sexuais de seus colaboradores, por exemplo. Quem não respeita a diversidade, perde a preferência dos consumidores e colaboradores!

Essa realidade tem feito com que escritórios “padrão” deixem de ser a única alternativa para as organizações. A geração Z curte muito os layouts diferenciados e que representam toda a diversidade cultural que nos envolve.

Salas mais coloridas e alegres, fugindo das paredes brancas e tons pastéis, por exemplo, agradam muito a nova geração de profissionais. O mesmo vale para o mobiliário, que pode ser bem mais criativo.

Considere todos esses pontos ao reformar ou redecorar os espaços do seu coworking. Existem empresas de arquitetura que são especialistas em escritórios criativos. Contratá-las pode ser uma ideia das mais interessantes.

2. Crie espaços verdes

Outra característica da geração Z é o fato dessas pessoas serem muito conscientes no que se refere à preservação do meio ambiente. Afinal, desde cedo esses jovens foram estimulados nas escolas e outros ambientes sobre a importância de preservar os recursos naturais para garantir o futuro do planeta.

Os espaços verdes, portanto, são cada vez mais valorizados pelos trabalhadores e o seu coworking pode criá-los para atrair mais profissionais.

Você pode dedicar um espaço do seu coworking para construir uma área verde, com plantas e flores para apreciação dos frequentadores. Até mesmo árvores frutíferas podem ser plantadas, caso haja uma área externa apropriada.

Além disso, as plantas também podem ser disponibilizadas nos próprios escritórios, para embelezar e renovar o ar dos ambientes. 

3. Tenha espaços multiuso

Quando a geração Z chegou no mercado de trabalho, a possibilidade de realizar muitas atividades remotamente já existia. Por conta disso, muitos jovens se definem como nômades digitais, não precisando fixar residência fixa em um local para trabalhar.

Com a possibilidade de trabalhar em qualquer lugar, é comum que as casas sejam adaptadas para que os espaços sejam multiuso. Uma sala de estar pode ser o local de trabalho e também uma área de lazer, por exemplo.

Na arquitetura empresarial isso também acontece. Os espaços multiuso são tendência nos coworkings e você pode criá-los para atrair mais frequentadores ao espaço.

Uma área verde externa, por exemplo, pode servir para descansar entre uma atividade e outra. Porém, nada impede que alguém leve o notebook para lá e trabalhe respirando o ar puro e curtindo o sol, por exemplo.

4. Aposte nos espaços recreativos

A geração Z valoriza bastante questões como a saúde mental e o bem-estar físico. Logo, para evitar uma rotina de trabalho muito estressante, os jovens gostam de fazer pausas e realizar atividades recreativas para relaxar a mente.

Ter espaços recreativos, como um salão de jogos, pode ser bem interessante para o seu coworking. Você pode investir em games de mesa e também fliperamas e outras opções de eletrônicos.

5. Promova a individualidade

Algo que é muito observado nos jovens da geração Z é a individualidade. Isso não significa que eles sejam antissociais, mas sim que estão acostumados a viver em espaços e tempos diferentes.

Exemplo disso acontece em plataformas de comunicação assíncrona, em que os receptores e emissores das mensagens não precisam conversar em tempo real.

Para garantir a individualidade dos jovens da geração Z, o seu coworking pode apostar muito em salas privativas. Esses espaços devem ser completos e confortáveis, com cadeiras, mesas, computadores e toda a infraestrutura necessária para realizar um bom trabalho.

A geração Z já chegou ao mercado de trabalho e você, sendo um gestor de coworking, precisa estar de braços abertos para receber os jovens profissionais em seu espaço. Se eles gostarem dos seus escritórios compartilhados, pode ter a certeza de que se tornarão frequentadores assíduos.

Vale lembrar que as pessoas da geração Z também são muito conectadas e usam muito os ambientes virtuais. Por isso, que tal ler agora o nosso conteúdo com 7 dicas para fortalecer sua marca nas redes sociais e atrair mais pessoas para o coworking? Temos a certeza de que este conteúdo será bastante útil. 


Texto de Lucas FloresRelações Públicas e Mestre em Letras, Cultura e Regionalidade. Revisado por Gabriele Lisboa, revisora textual freelancer. 

  • Share on: