sala privativa

Quem são os outros membros de um coworking?

coworking

Com a ascensão da competitividade do mercado – e aqui entenda como mercado o todo mesmo. Sem especificação de área – muitas vezes os empresários, as empresas e os próprios profissionais deixam de aprender uns com os outros. Isso por medo de abrir as portas para um possível concorrente. Ou mesmo entregar uma ideia potencial. Este é um dos motivos que fazem com que os membros de um coworking sejam tão essenciais ao sucesso desse modelo de negócio.

Não entendeu muito bem o raciocínio? Vem que queremos falar mais sobre isso.

membros de um coworking

Quem são os outros membros de um coworking?

Sempre falamos aqui das vantagens em aderir a um escritório compartilhado. Seja pela estrutura que oferece, pela praticidade no ir e vir. Seja pela localização ou mesmo pela possibilidade de se conectar a uma pequena amostra do mercado. E é neste ponto que queremos tocar. A pequena amostra do mercado ao qual você tem contato quando se torna um coworker.

Estar em um coworking é colocar em prática aquilo que muitas vezes, presos ao tradicional modelo de trabalho, ficamos limitado. Dentro das quatro paredes da sua empresa não é possível estar em contato com outras áreas de atuação. Ou mesmo se aproximar amigavelmente de um corrente. Mas dentro do coworking a ideia é exatamente o contrário. Nesses escritórios os membros são estimulados a interagirem, conhecer um ao outro, entender seus pontos fortes e aqueles a melhorar e, consequentemente, se ajudarem.

Os outros membros de um coworking pode ser um advogado que vai te auxiliar nas questões jurídicas do seu negócio. Pode ser um professor que vai levar conhecimentos técnicos à sua equipe. Um programador que vai te ajudar a desenvolver um projeto. Um jornalista que vai te ajudar a chegar à imprensa ou mesmo passar contatos importantes da mídia. Enfim, não há um perfil pré-definido, e aí está a maravilha dos coworkings, não há moldes, cada um contribui a seu modo.

membros de um coworking

Diversidade é a alma de um coworking

Definitivamente uma das vantagens de um coworking é reunir em um mesmo local profissionais que têm habilidades diferentes. Já dissemos isto, mas vale repetir. Mesmo que seu colega coworker seja da sua área de atuação, como não se trata de um espaço para vendas, ter outros profissionais do mesmo setor não significa uma concorrência. Pelo contrário, pode ser estimulante o trabalho colaborativo.

Há pessoas que buscam um coworking por realmente não terem um espaço físico. Logo a estrutura em si faz toda a diferença. Tem aqueles que vão pela curiosidade de viver a experiência. Afinal são pessoas de áreas diversas criando e produzindo no mesmo espaço. Tem os que vão em busca de networking (apesar que todos acabam se beneficiando deste benefício),  pois enxergam dentro destes escritórios a possibilidade de fazer parcerias, clientes, sócios e quem sabe estruturar uma equipe.

Sim, a diversidade não está apenas no perfil das pessoas que frequentam os coworkings, mas também nos motivos que levam cada uma até lá. Compartilhar ideias é mais que uma prática dentro desses espaços é uma questão inerente ao espaço que se cria.

Membros de um coworking: físicos e jurídicos

Falando ainda da tal diversidade, não podemos deixar de ressaltar que os membros de um coworking podem ser pessoas físicas ou jurídica. Inclusive, muitas empresas procuram esses espaços como forma de se conectarem ao mercado e suas novas possibilidades. E não estamos falando só de empresas de pequeno porte e iniciantes, mas também de empresas grandes e já conceituadas no mercado.

A procura pelos coworkings podem ir desde a busca por um espaço para transformar em estação de trabalho, quanto para quem quer alugar uma única sala, para uma reunião com o cliente, por exemplo. Democracia é a palavra de ordem, é preciso ter lugar para todas as áreas, todos os perfis. Obviamente uns combinam mais com um estilo de escritório, portanto recorrem as salas privadas ou tem aqueles que preferem o movimento e contato que as bancadas coletivas proporcionam. Tudo vai da necessidade de cada um.

Se você é pessoa física ou jurídica, não importa. Pode procurar um coworking, entender melhor como seus membros utilizam esses espaços e, claro, escolher aquele com o qual mais se identificar para viver esta experiência.

E lembre-se, o tempo que você vai querer contratar fica a seu critério. A flexibilidade de horários e período de “estadia” também é uma das vantagens do negócio.

Experimente e conte sua experiência pra gente!

Até mais! 😉

Facebook Comments
Previous
Gestão financeira para freelancers
Next
Gestão de tempo: por que e como fazer?

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *