5 mitos sobre os nômades digitais que precisam ser falados

Carreira
Trabalhar de qualquer lugar do mundo demanda muita capacidade de autogestão, mas é perfeitamente possível, e isso não é uma lenda. No entanto, existem diversos mitos sobre os nômades digitais que precisam ser desmistificados.

O que poderia ser melhor que ter a opção de trabalhar em qualquer lugar do mundo? Hoje, com a internet e todos os avanços que ela trouxe em relação à conectividade, isso não só se tornou possível como também é uma dasprincipais tendências do futuro do trabalho.

De fato, existem inúmerasvantagens nessa modalidade de trabalho, no entanto, no entanto, os mitos sobre os nômades digitais crescem na mesma proporção que o número de adeptos a esse modo de trabalhar, que é praticamente um estilo de vida.

Se tornar um nômade digital não é tão simples quanto parece e a vida não se torna tão glamourosa quanto muitos imaginam erroneamente. É preciso ter capacidade de autogestão, principalmente financeira, saber como manter a motivação e muito, mas muito mesmo, preparo. Agora, você quer saber quais são os maiores mitos sobre os nômades digitais? Então, continue lendo!

1. Vivem viajando

A principal proposta de ser nômade digital é a de poder trabalhar de qualquer lugar do mundo, até mesmo, da própria casa. O que não significa necessariamente que o profissional passe seus dias na estrada de um lugar para o outro, mas sim, que ele pode fazer isso quando quiser, já que ganhou o benefício da mobilidade.

O que o nômade digital precisa para trabalhar, normalmente, é de um dispositivo móvel ― como um smartphone, tablet ou notebook ― conectado a internet. Dependendo da atividade que ele exerce, é possível trabalhar, até mesmo, de computadores públicos, como em uma lan house. Nesse caso é comum que utilizem algum serviço de nuvem.

Apesar da possibilidade de viver viajando ser bem atrativa, essa não é o principal benefício da mobilidade, mas sim, a possibilidade de otimização de tempo. Por exemplo, imagina se você puder fazer o seu trabalho mesmo na sala de espera lotada do consultório do seu dentista? Ou ainda, que naquele dia com a agenda mais apertada, você possa trabalhar de casa e “economizar” o tempo que gastaria em locomoção?

2. Trabalham na beira do mar ou da piscina

Mais uma vez, o nômade digital, definitivamente, pode trabalhar na beira do mar ou da piscina se ele quiser, porém, ele optar por isso nem sempre é uma regra. Existem diversas que fazem com ele evite essa escolha, por exemplo, a manutenção do foco no trabalho, ou mesmo, a segurança do seu equipamento.

Imagine a criançada pulando na piscina e a água espirrando bem em cima do seu super notebook novinho? Ou então, aquele arrastão digno de noticiário rolando na areia da praia e você lá distraído com o seu trabalho, sem se dar conta de que está prestes a perdê-lo?

No entanto, é claro que existe vantagem nessa opção, como a possibilidade de resolver aquele problemaço do seu cliente mesmo quando você está de férias. Embora não seja uma boa prática do ponto de vista da suasaúde mental, eventualmente, é bom para ganhar uns pontinhos mais profissionalmente.

mitos sobre os nômades digitais

3. Ganham rios de dinheiro

Os mitos que envolvem os nômades digitais e sua relação com o dinheiro vão aos extremos: ou se acredita que ganham muito bem, ou que são desempregados em busca de ganhar qualquer trocado por uma questão de sobrevivência. Nem uma, nem outra teoria estão corretas.

Na prática, muitos dos nômades digitais têm contratos estáveis com empresas que garantem sua renda recorrente, alguns até, tem registro em carteira com todos os benefícios da CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) e recebem independente de produtividade.

Claro que existem os autônomos ou freelancers, e embora a receita deles esteja diretamente ligada a sua produção, a principal característica deles é, justamente, a capacidade de autogestão, o que inclui uma boa gestão financeira, fazendo com pareça que eles sempre têm dinheiro para tudo. Ledo engano, o que eles têm, na verdade, é muito planejamento.

4. São nômades digitais até conseguirem “coisa melhor”

Um dos mitos mais absurdos sobre os nômades digitais é que eles “vivem de bicos” e só estão nessa modalidade de trabalho por falta de opção e, portanto, temporariamente, pois quando conseguirem um “emprego melhor” sairão “dessa vida.

O que acontece é geralmente o contrário, eles escolhem ser nômades digitais exatamente por que têm muitas oportunidades de trabalho e não precisam ficar presos somente a uma delas. Isso acontece, exatamente, por que são muito bons no que fazem e primam pela qualidade de suas entregas.

Nesse contexto, a situação é exatamente oposta ao que muitos imaginam:são profissionais disputados, que para muitas empresas é inviável pagar para tê-los com exclusividade.

mitos sobre os nômades digitais

5. Levam uma vida “Forever alone”

Esse é um mito que pode se tornar realidade se o nômade digital não se policiar. Por terem a opção de trabalhar de casa, ou do hotel quando estão em viagem, ou de qualquer outro lugar com uma conexão com a internet e, na maioria das vezes, precisarem de foco para trabalhar, é comum que esses profissionais se isolem durante o período em que estão trabalhando.

Porém, existem alguns truques para evitar que isso aconteça. É o caso dosespaços de coworking, por exemplo, que oferecem toda a infraestrutura da qual precisam em um ambiente colaborativo, onde encontram a possibilidade de expandir seu networking e evitar a vida solitária temida por muita gente.

Uma excelente opção para quem deseja se tornar um nômade digital é contar com uma empresa que ofereça alternativas de locais diferenciados, com toda a infraestrutura necessária para trabalhar, inclusive umambiente que estimule a criatividade. É o caso da BeerOrCoffee, maior plataforma de coworking do país com mais de 1000 escritórios espalhados por todo o território nacional, em especial, em São Paulo, BH e Curitiba.

Como você viu, existem muitos mitos sobre os nômades digitais e, seja qual for a área de atuação deles, são profissionais como quaisquer outros, porém, com capacidade de autogestão, o que é fundamental para que se consiga sobreviver nessa modalidade de trabalho.Pensando em experimentar a vida de nômade digital? Então, faça o seu teste gratuito na BeerOrCoffee, sozinho ou com a sua equipe.

Silvia Seco é publicitária, especializada em gestão de marketing digital e produção de conteúdo. Uma verdadeira apaixonada por criação, design, inovação, tecnologia e histórias bem contadas.

Facebook Comments
Previous
Melhores bares e restaurantes de BH para levar clientes