trabalhar em um coworking

Como é trabalhar em um coworking?

coworking

Como é trabalhar em um coworking? Será que estamos todos preparados para a revolução no mercado de trabalho? Será que estamos prontos para nos livrar da carga horária delimitada? Será que estamos prontos para compartilhar espaços? Será que estamos dispostos a aprender com a concorrência? Será?

Estas e muitas outras perguntas levam várias profissionais a procurarem os coworkings. As democráticas estações de trabalho já ganharam muitos países. E o Brasil, aos poucos, está aderindo a esta tendência. Claro que ainda há muitas dúvidas sobre os escritórios compartilhados. E para você que está nesta situação temos boas notícias: no conteúdo de hoje traremos algumas impressões de quem já é um coworker e dicas para você aderir a este universo.

Bora lá?

O espaço físico

Sim, a galera ama o estilo descolado da maioria dos coworkings. Lógico que não é uma regra, mas sim, o espaço harmônico, bem decorado, iluminado faz muita a diferença. Veja alguns comentários:

“O visual é de encher os olhos (tanto pela vista quanto pela decoração), o ambiente é bastante tranquilo para concentração e as funcionárias da recepção foram muito atenciosas!” sobre o Flowork

“O mais gostoso da área de trabalho é de verdade encher os olhos com a vista e com a decoração. Uma mistura de cor, plantas e móveis que você fica só sonhando sobre como ficariam na sala da sua casa…” sobre o Wework Berrini

“Apesar da aparência “moderninha”, o primeiro andar é bem tranquilo. Mesmo com as reuniões acontecendo em algumas mesas e a música ambiente, consegui me concentrar muito bem, como se estivesse trabalhando de casa.” sobre o Spaces.

Estas percepções são bem recorrentes, pois uma das premissas dos coworkings é oferecer um ambiente agradável para os adeptos a este estilo de trabalho, mais livre, que incentiva a criatividade.

trabalhar em um coworking

Network que fala, né?

Se não for pra fazer network nem vá para um coworking. Brincadeira, vá sim, como já dissemos o espaço é democrático e tem espaço para todo mundo. Mas, já que estará por lá, converse com a galera, entenda os benefícios que cada um encontrou em estar ali, saiba das dores e das conquistas de cada um. Isto te ajudará a crescer como profissional e como pessoa.

Mas, voltando ao assunto, o network dentro desses escritórios é muito comum. Tem gente que se conhece ao trabalhar em um coworking e vira sócio, parceiro, cliente e, claro, amigo.

“Em relação ao networking, parece ser algo que realmente acontece de forma natural entre os residentes. Além da própria interação nos espaços, há uma série de eventos realizados no Flowork, que certamente ajudam neste ponto!”

“Outro ponto que gostei bastante é que no WeWork  as pessoas parecem bastante dispostas a interagir entre si, nem que seja por um bom dia e comentário sobre o tempo com quem está sentado logo ao lado.”

Sim, socialização é quase uma palavra de ordem nesses ambientes. Mas, é sempre bom frizar, se você só quer um canto para chamar de seu, os coworkings também são para você!

Numa sala, numa estação de trabalho ou numa casinha de sapê

Quando falamos que os coworkings são democráticos, é porque são democráticos mesmo. Você pode virar um coworker usando uma sala inteirinha pra você, ou pode optar pelo mesão, também conhecido como estação de trabalho compartilhado. A casinha de sapê, não nos lembramos de já ter visto algum, mas não duvidamos.

Pois é, a vantagem de trabalhar em um coworking é que você literalmente escolhe sua forma de trabalhar, seu espaço, a partir das suas necessidades e disponibilidade de investimento. Talvez você ouça que esses lugares são muito confusos, barulhentos, desorganizados, mas acredite: ouvir histórias jamais vai retratar a realidade de quem vive a experiência.

Se você quer muito viver sua própria experiência de trabalhar em um coworking, nossa dica é começar lendo o post que se encontra neste link aqui. Sim, nele você encontrará dicas de como chegar ao coworking ideal para você. Depois, viva na prática e conte suas experiências aqui pra gente. O que acha?

Estamos esperando seus comentários aqui.

Até!

Facebook Comments
Previous
Freelancer: como fazer uma proposta comercial assertiva?
Next
7 ferramentas para nômades digitais, freelancers e autônomos que você não pode ignorar em 2019

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *