membros de um coworking

Quem são os outros membros de um coworking?

coworking

Com a ascensão da competitividade do mercado – e aqui entenda como mercado o todo mesmo. Sem especificação de área – muitas vezes os empresários, as empresas e os próprios profissionais deixam de aprender uns com os outros. Isso por medo de abrir as portas para um possível concorrente. Ou mesmo entregar uma ideia potencial. Este é um dos motivos que fazem com que os membros de um coworking sejam tão essenciais ao sucesso desse modelo de negócio.

Não entendeu muito bem o raciocínio? Vem que queremos falar mais sobre isso.

membros de um coworking

Quem são os outros membros de um coworking?

Sempre falamos aqui das vantagens em aderir a um escritório compartilhado. Seja pela estrutura que oferece, pela praticidade no ir e vir. Seja pela localização ou mesmo pela possibilidade de se conectar a uma pequena amostra do mercado. E é neste ponto que queremos tocar. A pequena amostra do mercado ao qual você tem contato quando se torna um coworker.

Estar em um coworking é colocar em prática aquilo que muitas vezes, presos ao tradicional modelo de trabalho, ficamos limitado. Dentro das quatro paredes da sua empresa não é possível estar em contato com outras áreas de atuação. Ou mesmo se aproximar amigavelmente de um corrente. Mas dentro do coworking a ideia é exatamente o contrário. Nesses escritórios os membros são estimulados a interagirem, conhecer um ao outro, entender seus pontos fortes e aqueles a melhorar e, consequentemente, se ajudarem.

Os outros membros de um coworking pode ser um advogado que vai te auxiliar nas questões jurídicas do seu negócio. Pode ser um professor que vai levar conhecimentos técnicos à sua equipe. Um programador que vai te ajudar a desenvolver um projeto. Um jornalista que vai te ajudar a chegar à imprensa ou mesmo passar contatos importantes da mídia. Enfim, não há um perfil pré-definido, e aí está a maravilha dos coworkings, não há moldes, cada um contribui a seu modo.

membros de um coworking

Diversidade é a alma de um coworking

Definitivamente uma das vantagens de um coworking é reunir em um mesmo local profissionais que têm habilidades diferentes. Já dissemos isto, mas vale repetir. Mesmo que seu colega coworker seja da sua área de atuação, como não se trata de um espaço para vendas, ter outros profissionais do mesmo setor não significa uma concorrência. Pelo contrário, pode ser estimulante o trabalho colaborativo.

Há pessoas que buscam um coworking por realmente não terem um espaço físico. Logo a estrutura em si faz toda a diferença. Tem aqueles que vão pela curiosidade de viver a experiência. Afinal são pessoas de áreas diversas criando e produzindo no mesmo espaço. Tem os que vão em busca de networking (apesar que todos acabam se beneficiando deste benefício),  pois enxergam dentro destes escritórios a possibilidade de fazer parcerias, clientes, sócios e quem sabe estruturar uma equipe.

Sim, a diversidade não está apenas no perfil das pessoas que frequentam os coworkings, mas também nos motivos que levam cada uma até lá. Compartilhar ideias é mais que uma prática dentro desses espaços é uma questão inerente ao espaço que se cria.

Membros de um coworking: físicos e jurídicos

Falando ainda da tal diversidade, não podemos deixar de ressaltar que os membros de um coworking podem ser pessoas físicas ou jurídica. Inclusive, muitas empresas procuram esses espaços como forma de se conectarem ao mercado e suas novas possibilidades. E não estamos falando só de empresas de pequeno porte e iniciantes, mas também de empresas grandes e já conceituadas no mercado.

A procura pelos coworkings podem ir desde a busca por um espaço para transformar em estação de trabalho, quanto para quem quer alugar uma única sala, para uma reunião com o cliente, por exemplo. Democracia é a palavra de ordem, é preciso ter lugar para todas as áreas, todos os perfis. Obviamente uns combinam mais com um estilo de escritório, portanto recorrem as salas privadas ou tem aqueles que preferem o movimento e contato que as bancadas coletivas proporcionam. Tudo vai da necessidade de cada um.

Se você é pessoa física ou jurídica, não importa. Pode procurar um coworking, entender melhor como seus membros utilizam esses espaços e, claro, escolher aquele com o qual mais se identificar para viver esta experiência.

E lembre-se, o tempo que você vai querer contratar fica a seu critério. A flexibilidade de horários e período de “estadia” também é uma das vantagens do negócio.

Experimente e conte sua experiência pra gente!

Até mais! 😉

gestão financeira

Gestão financeira para freelancers

Networking

A vida de um freelancer muitas vezes começa de forma despretensiosa, onde aquele trabalho é apenas um complemento da renda. Por outro lado, há os freelancers que tem neste trabalho independente, a principal fonte de renda. Para estes dois casos a gestão financeira é indispensável. Afinal é fácil se perder nas contas, e saber gerir os ganhos é uma forma de se estabelecer no mercado.

A gestão financeira está longe de ser uma prática simples e fácil. Tanto que existem áreas de atuação especializadas nisto. Porém, não dá para contar com ajuda profissional o tempo todo, as vezes em momento algum. Portanto é preciso desenvolver esta habilidade para que fechar o mês no vermelho seja apenas uma exceção e não uma regra.

Por que aprender sobre Gestão Financeira?

gestão financeiraMuitos vivem a falsa ilusão de que ser um freelancer é sinônimo de passar o dia todo em casa, assistindo TV, atualizando a séries e de vez em quando se reunindo com os clientes. Triste engano. Um profissional decidido a viver do próprio negócio, precisa saber administrar seu tempo, suas demandas, seus clientes, suas entregas, seus resultados, e adivinhem? Suas finanças.

As vezes acontece de em um mês entrar muito dinheiro, no outro intermediário e logo mais uma quantia quase zerada. Para gerir essa situação, é preciso ter inteligência e planejamento para lidar com as adversidades. Mesmo que uma empresa ou uma terceira pessoa administre a entrada e saída de dinheiro para você, não há como ela saber quais são de fato suas expectativas a longo prazo. Ou seja, só você sabe até onde quer chegar e, principalmente, como quer chegar.

Então, respondendo nossa pergunta acima, aprender gerir as finanças dos seus freelas, do seu negócio, é uma forma de estar atento aos seus rendimentos e até mesmo ao seu potencial lucrativo. Quem sabe organizar seus trabalhos, incluindo a administração do mesmo, estará sempre em ascensão.

Mas, como fazer a gestão financeira do meu pequeno negócio?

Antes mesmo de qualquer dica ou explicação é preciso um ponto de atenção. Você precisa olhar para seus trabalhos como freelancers e enxergá-lo como um trabalho que gera renda e portanto tem grande valor. Dito isto, e certo de que você já enxerga o empreendedor que há em você, segue algumas sugestões para implementar de forma eficaz a gestão financeira da sua vida profissional.

Tenha metas e se dedique a cumprí-las

Quando você não estabelece metas para sua rotina, acaba se perdendo no desenvolvimento das demandas do dia-a-dia, e no planejamento do que pode vir a entregar. Sim, quando trabalhamos com metas, temos motivações, afloramos o instinto criativo. Afinal há um lugar a se chegar, um caminho a ser percorrido. Então, crie metas e foque em cumprir cada uma delas.

O acompanhamento das finanças 

gestão financeira

De nada adianta traçar metas, e até mesmo cumprí-las, se você não tem noção do retorno financeiro que isto está lhe rendendo. Você precisa criar seu fluxo de caixa. E nele contemplar todos os seus ganhos e todos os seus gastos, atualizando-o periodicamente. Quanto mais detalhado, mais você tem condições de entender do seu negócio, dos seus potenciais e, principalmente, como precificar.

Invista em você, invista no que acredita

Ao longo do tempo, sua rotina como freelancer vai se aperfeiçoando. Assim como qualquer outra forma de atuação profissional. Aqui, a diferença é que não dá para ficar esperando alguém alertá-lo de onde precisa melhorar, aperfeiçoar técnicas ou comprar materiais de suporte. Na vida de freelancer você tem que ter noção das suas necessidades, portanto invista na sua capacitação, nas suas habilidades em se lapidar.

Seu escritório, sua vida

Jamais confunda seu espaço de lazer, descanso e sossego com a rotina profissional. Muitos freelancers se encontram dentro dos espaços coworkings. Afinal estes lugares garantem infraestrutura, networking, qualidade de vida, tudo a um preço mais acessível. Sim, os espaços colaborativos são fortes aliados de quem precisa de concentração para trabalhar. Isso sem perder a flexibilidade de horários, a capacidade de produzir sem se prender  a uma vida de escritório tradicional. Para você que não conhecer um coworking, ou mesmo nunca se imaginou atuando em algum deles, leia mais sobre como os coworkings podem ser fortes aliados de quem pretende investir na carreira empreendedora.

Número de Clientes x  Despesas pessoais

gestão financeiraMuitos freelancers, conforme vão aumentando a carteira de clientes, vai se deslumbrando com as possibilidades que surgem. Quando sugerimos dosar a quantidade de clientes com as despesas pessoais, estamos falando exatamente da inteligência emocional de lidar com o aumento na carteira de clientes, que pode variar a qualquer momento, com o proporcional aumento nas despesas pessoais.

Se você ficou receoso da sua capacidade de gerir as próprias finanças, já avisamos: ninguém nasce sabendo. E ainda assim aos que desenvolvem habilidades, certamente ainda vai errar algumas vezes. Mas é só assim que se aprende algo. Ter medo é muito comum, e tudo bem sentir isto. O que não pode é deixar esse medo te paralisar.

Preparado para iniciar a gestão financeira dos seus freelas? Então, não se reprima! Vá em frente que você é a pessoa mais indicada para acompanhar de perto a evolução dos seus negócios.

Boa sorte e até a próxima!