VIDA DE COWORKING

Tudo sobre espaços de trabalho como nova forma de vida

sentio hero

Tendências do trabalho remoto: números e insights para a sua empresa

Sem categoria

Neste texto, vamos falar de tendências do trabalho remoto — todos embasados em estudos e experiências de algumas das maiores e mais respeitadas empresas e universidades do mundo.

Tendências do trabalho remoto: crescimento no mundo

O relatório Estatísticas de Trabalho Remoto para 2019, da FlexJobs, mostrou que entre 2016 e 2017 o trabalho remoto cresceu 7,9%. Além disso, o estudo apontou que nos últimos cinco anos a força de trabalho remota aumentou 44%; nos últimos 10 anos, 91%; e nos últimos 12 anos, 159%. Isso mostra uma grande crescente do trabalho remoto.

Bem-estar no trabalho

Em 2016, Phyllis Moen e Erin L. Kelly (da Universidade de Minnesota e do MIT, respectivamente) estudaram colaboradores de empresas da Fortune 500 e fizeram testes com algumas equipes que estavam vivendo experiências de trabalho remoto e horário flexível.

O grupo remoto estudado apontou “níveis mais altos de satisfação no trabalho e níveis reduzidos de burnout e estresse psicológico” do que os funcionários não remotos. Esses profissionais da pesquisa também puderam reduzir o número de reuniões, o que aumentou a produtividade e ajudou no equilíbrio entre trabalho e vida pessoal.

“Os trabalhadores de hoje são bombardeados por conselhos sobre como conciliar trabalho e a vida familiar. Nosso estudo deixa claro que as iniciativas organizacionais, incluindo programas que promovem maior flexibilidade e controle para os trabalhadores, bem como maior apoio do supervisor, são necessárias. ” Phyllis Moen, da Universidade de Minnesota

Mais engajamento

Segundo o relatório Gallup State of the American Workplace, os níveis de engajamento para trabalhadores remotos cresceram. A pesquisa da Gallup apontou que os colaboradores remotos são um pouco mais engajados (32%) do que os profissionais que atuam nos escritórios tradicionais (28%).

Além disso, o estudo mostrou que a maioria das pessoas que trabalham remotamente têm um senso de pertencimento mais forte em relação às equipes que atuam na sede da empresa. O sentimento por parte das equipes a distância é de que suas “opiniões parecem contar”, ainda que a comunicação seja feita somente pela internet.

Férias dos trabalhadores remotos

Segundo o estudo State of Remote Work de 2019, da Buffer, 32% dos profissionais remotos contam com férias ilimitadas. Apesar disso, a maior parte deles tira entre duas e quatro semanas de férias no decorrer de um ano. É provável que isso tem a ver com a flexibilidade que existe em uma rotina remota.

Quando as pessoas têm mais liberdade e controle sobre seus horários, elas ficam menos estressadas e não sentem tanta necessidade de férias como se trabalhassem no escritório tradicional. Isso é de fato mais uma das tendências do trabalho remoto.

 tendências do trabalho remoto


Mais produtividade

Um estudo da universidade Stanford de 2012 apontou que a flexibilidade do trabalho remoto pode ser essencial para aumentar a produtividade.

O professor Nick Bloom, do departamento de economia de Stanford, estudou o desempenho de equipes da CTrip.com, uma companhia com sede em Xangai, avaliada em bilhões de dólares.

Bloom e seus colegas compararam a eficiência das pessoas que trabalhavam remotamente quatro dias por semana em relação às equipes que atuavam no escritório convencional. A pesquisa apontou que a transição para o universo remoto aumentou a produtividade dos profissionais em 13%.

Os pesquisadores disseram que esse aumento da produtividade se deu por duas questões: pausas mais curtas (9%); ambiente de trabalho menos perturbador (4%).

Além disso, as equipes ficaram mais tempo na empresa e destacaram um nível mais alto de felicidade em relação aos seus colegas que não trabalhavam remotamente.

Mais foco

Uma equipe de pesquisadores apontou que o ambiente de trabalho afeta a concentração dos colaboradores. De 2008 a 2014, por exemplo, o número de profissionais que disseram não conseguir se concentrar em sua mesa aumentou 16%.

Ao mesmo tempo, o número de equipes que não consegue ter acesso a locais silenciosos para focar nas suas atividades cresceu em 13%.

Além disso, o número de profissionais que estão mais preocupados com sua privacidade no ambiente de trabalho cresceu 74% em dez anos.

O que achou dessas tendências do trabalho remoto? Na sua empresa, é possível trabalhar de maneira remota ou essa é uma realidade ainda muito distante? Deixe seu comentário.

Facebook Comments
  • Share on:
equilíbrio entre vida pessoal e profissional

Como a pandemia afetou o equilíbrio entre vida pessoal e profissional

CarreiraPropósito

A necessidade de isolamento social por conta da pandemia do novo coronavírus pegou todo mundo de surpresa. Rapidamente, funcionários e empresa tiveram que se adaptar ao trabalho remoto para que as atividades não parassem. Meses depois, como será que o home office afetou o equilíbrio entre vida pessoal e profissional dos trabalhadores?

Trabalhar de casa foi muito romantizado no início como algo que só traz benefícios — não ter que enfrentar o deslocamento até a sede e fazer horários mais flexíveis, por exemplo. Mas com o passar do tempo, percebeu-se que não é bem assim que acontece.

Neste post, trazemos alguns pontos importantes sobre o assunto e que quem trabalha em home office deve estar por dentro. Além disso, damos algumas dicas de como equilibrar a vida pessoal e profissional neste momento. Para conferir, basta continuar a leitura. Vamos lá?

O que a ciência diz sobre o equilíbrio entre vida pessoal e profissional?

Se antes já era difícil equilibrar vida pessoal e profissional para os mais workaholics, trabalhando em home office isso fica ainda mais complicado. Mesmo os que conseguiam não levar trabalho para casa, agora sofrem com o problema.

Uma matéria publicada pelo site The Conversation aponta que as pessoas, quando em casa, trabalham em média 2 horas a mais por dia do que no escritório. Antes da pandemia, as empresas que tinham resistência ao trabalho remoto suspeitavam que a produtividade cairia em relação à modalidade presencial. Entretanto, o que aconteceu foi o oposto. 

Segundo a pesquisa do site australiano, o sentimento de sorte por ainda ter um emprego em meio ao colapso causado pela pandemia e o medo de ser ainda mais vigiado pelos empregadores são alguns dos motivos que fazem os colaboradores trabalharem as horas extras.

Bossware

Você sabia que existe um software um tanto quanto polêmico que algumas empresas usam para monitorar os funcionários? O “bossware”, como é chamado, tem o objetivo de aumentar  a produtividade. Com ele, o chefe pode medir a atividade de e-mail e de documentos compartilhados, por exemplo. 

O uso desse programa incentiva a cultura do trabalho extra. Na mesma pesquisa feita com 500 colaboradores do Reino Unido, os entrevistados revelaram uma preocupação com a privacidade durante as chamadas de vídeo e a interrupção constante de seu tempo pessoal.

Pausas

Por falar em tempo pessoal, as pausas no trabalho estão desaparecendo. Se antes, no ambiente de trabalho dentro da empresa, os colegas tiravam alguns minutos para tomar um café ou fazer o horário de almoço, hoje as empresas têm expectativa de funcionários disponíveis a todo momento. 

Se esse hábito não for controlado, logo se tornará norma após a volta ao expediente dentro da empresa, o que é prejudicial ao trabalhador. Essas pausas são importantes para o bem-estar do funcionário e, até mesmo, para a sua produtividade.

Problemas emocionais

Todas essas mudanças na rotina de trabalho, em que vida pessoal e profissional se misturam, podem gerar um estresse crônico e, consequentemente, a Síndrome do Esgotamento Profissional, também conhecida como Síndrome de Burnout. 

Esses problemas emocionais podem levar à irritabilidade, queda na produtividade e dificuldade para dormir. Se medidas não forem tomadas, é cada vez mais difícil sustentar uma boa saúde mental e física.

equilíbrio entre vida pessoal e profissional

Afinal, como manter o equilíbrio entre vida pessoal e profissional?

Antes de mais nada, é interessante contextualizarmos o que é esse tão falado equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. Podemos dizer que é o controle de como lidamos com as diversas demandas que temos em todos os aspectos da vida, mantendo o bem-estar e evitando doenças. Como isso é possível? Veja as nossas dicas!

Mantenha uma rotina definida

Sabemos que nem sempre é fácil manter uma rotina de trabalho em home office, ainda mais se os horários são flexíveis. Entretanto, é importante estabelecer, dentro do possível, o turno com hora para iniciar e terminar e pausas para se alimentar e “esticar as pernas”.

Além disso, é interessante trocar o pijama e não fazer as refeições na mesa de trabalho. Assim, você entra no modo “expediente”, o que ajuda a separar o pessoal do profissional.

Tenha um espaço para o trabalho

No início da pandemia, muitas pessoas acharam que o trabalho remoto era algo passageiro e que logo voltariam à vida normal. No entanto, meses se passaram e o home office continuou, seja por necessidade de isolamento social, seja pelas vantagens que as empresas enxergaram nessa modalidade.

Se você ainda não tem um espaço adequado destinado ao trabalho, saiba que isso é importante para a sua produtividade e bem-estar. Portanto, separe um ambiente e siga as normas de ergonomia para a disposição dos equipamentos e móveis.

Desconecte do trabalho após o turno

Com um horário bem definido para começar e encerrar o expediente, tente se desconectar do trabalho, sempre que possível. Se o seu emprego não exige disponibilidade fora do turno, tente não estender as tarefas.

Aproveite para tirar um tempo off-line, fazendo atividades que não envolvam telas. Assim, você consegue descansar os olhos e a mente, além de ter maior oportunidade de convívio com os outros moradores da casa.

Aposte no trabalho híbrido

Você conhece o trabalho híbrido? Essa modalidade ganha cada vez mais destaque, principalmente, como tendência para o cenário pós-pandêmico — o novo normal. Nele, as empresas dão mais autonomia para seus colaboradores escolherem onde, como e quando fazerem as suas tarefas.

Dessa forma, o funcionário pode optar por trabalhar em home office, dentro da empresa ou em coworkings (escritórios flexíveis). Os benefícios são inúmeros, mas podemos destacar essa flexibilidade como algo interessante para o bem-estar. 

Está cansado de trabalhar em casa? Basta ir até um bom coworking para fazer as atividades e interagir com pessoas. Os horários da semana estão muito apertados? Então fazer home office pode ser a melhor opção.

Como você pode conferir, o trabalho em home office tem algumas variáveis que, até então, não eram enxergadas como problemas. A falta de limites entre a vida pessoal e profissional é uma delas. Por esse motivo é importante manter alguns hábitos para conseguir restabelecer o equilíbrio.

Há quem diga que trabalho remoto e home office significam o mesmo. Mas a verdade é que há diferenças entre eles. Aproveite que está por aqui e saiba mais.

Facebook Comments
  • Share on: